Blog do Rovai

01 de maio de 2019, 15h52

A história do avião de Maduro para Cuba e o jornalismo do Departamento de Estado dos EUA

A informação de que um avião aguardava Maduro com destino à Cuba é mais um capitulo das fake news divulgadas pelo Departamento de Estado Americano em relação à Venezuela; a versão caiu como uma luva para a narrativa dos jornalistas que embarcaram na versão do sucesso do golpe de Guaidó

Reprodução

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, afirmou que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, estava pronto para deixar o país na manhã de ontem, 30, mas que teria sido convencido pela Rússia a permanecer em Caracas.

Para dar ares de realidade a sua fala após mais uma tentativa fracassada de golpe patrocinada pelos EUA, Pompeo ainda disse que Maduro tinha um avião estacionado ao lado de onde se encontrava e que seu destino seria Cuba.

A informação é mais um capítulo das fake news divulgadas pelo Departamento de Estado Americano em relação à Venezuela.

Durante toda a manhã de terça-feira a assessoria de imprensa do órgão alimentou os veículos de comunicação e jornalistas alinhados aos EUA, como os comentaristas da GloboNews, com a história de que Guaidó tinha o apoio de todo o comando das Forças Armadas. E que dessa vez Maduro estava derrotado.

Quem assistiu a análises, por exemplo, de comentaristas como Ariel Palácios, que pela manhã já falava sobre os rumos da nova Venezuela, ficava com a narrativa criada por Pompeo.

Veja também:  Haddad diz que não tem pretensão de ser candidato a prefeito de São Paulo novamente

Quando ficou claro que tudo não passava de mais uma tentativa fracassada da oposição golpista e que Guaidó não tinha nem uma dezena dos 2 mil generais do país a seu favor, houve cobrança por parte desses jornalistas. Principalmente dos europeus e americanos. Foi neste momento que a versão do avião para Cuba e da ordem da Rússia surgiram.

A versão caiu como uma luva para a narrativa dos jornalistas que embarcaram na versão do sucesso do golpe de Guaidó. Todos deram como se isso justificasse suas analises equivocadas. E há ainda os que chamam isso de jornalismo profissional. Triste jornalismo.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum