Imprensa livre e independente
21 de maio de 2019, 08h38

Acusado de matar Marielle, vizinho de Bolsonaro tinha facilidades para importar armas como “colecionador e atirador”

Ronnie Lessa e conhecidos milicianos figuram na lista das pessoas com o Certificado de Registro. Documento foi emitido pelo tenente-coronel do Exército Alexandre Almeida, preso em abril deste ano sob suspeita de desvio de armas

Ronnie Lessa (D) e a ação da PM no condomínio Vivendas da Barra para prendê-lo (Reprodução/TV Globo)
Vizinho de Jair Bolsonaro no condomínio Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro, o sargento reformado Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle Franco (PSol) e o motorista Anderson Gomes, usava o Certificado de Registro (CR), documento concedido pelo Sistema de Fiscalização de Produtos Controlados (SFPC) do Exército, para facilitar a importação de armas. Leia também Decreto de Bolsonaro libera venda de fuzil para qualquer cidadão: “Fila é de 2 mil pessoas”, diz Taurus Segundo reportagem de Chico Otávio e Vera Araújo, no jornal O Globo desta terça-feira (21), Ronnie Lessa e conhecidos...

Vizinho de Jair Bolsonaro no condomínio Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro, o sargento reformado Ronnie Lessa, acusado de ser o autor dos disparos que mataram a vereadora Marielle Franco (PSol) e o motorista Anderson Gomes, usava o Certificado de Registro (CR), documento concedido pelo Sistema de Fiscalização de Produtos Controlados (SFPC) do Exército, para facilitar a importação de armas.

Leia também
Decreto de Bolsonaro libera venda de fuzil para qualquer cidadão: “Fila é de 2 mil pessoas”, diz Taurus

Segundo reportagem de Chico Otávio e Vera Araújo, no jornal O Globo desta terça-feira (21), Ronnie Lessa e conhecidos milicianos figuram na lista das pessoas com o Certificado de Registro.

Com o certificado de registro de colecionador e atirador desportivo de número 203.587, desde 30 de maio do ano passado, Lessa obteve o documento do SFPC, assinado pelo tenente-coronel do Exército Alexandre Almeida, que chefiava o serviço na época.

Almeida foi preso em abril deste ano sob suspeita de desvio de armas do setor que coordenava, que tinha como atribuições fiscalizar: a importação e o comércio de armas, os clubes de tiro, o comércio de explosivos, a blindagem de veículos, além das atividades dos colecionadores, atiradores e caçadores, os chamados CACs, categoria na qual Lessa se inclui.

Veja também:  General Heleno: "O Lula é terrível, mas o Fernando Henrique era pior, hein?"

Ainda segundo os jornalistas, a Receita Federal comunicou ao Ministério Público Federal ( MPF ) que encontrou e reteve no Correios de São Paulo uma carga de seis peças de airsoft importadas em nome de Lessa , que está preso desde março.

Para trazer a encomenda, Lessa seguiu os trâmites legais, valendo-se da Instrução Normativa nº 1737, que regula os despachos aduaneiros, e da anuência do Exército.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum