Imprensa livre e independente
04 de julho de 2017, 17h31

Aécio discursa na tribuna do Senado, culpa Joesley e é aplaudido por senadores

Alvo de seu 7º inquérito no STF, o tucano foi autorizado a voltar ao Senado e, em seu discurso, se disse “vítima de uma armadilha” e chamou o empresário Joesley Batista, que o delatou, de “criminoso confesso”  Por Redação  O senador Aécio Neves (PSDB-MG) voltou nesta terça-feira (4) ao Senado Federal, após autorização do ministro Marco Aurélio Mello, e já discursou na tribuna para tentar se defender das acusações que culminaram em seu sétimo inquérito no Supremo Tribunal Federal. Ele foi acusado pelo Ministério Público de corrupção passiva e obstrução da Justiça após serem reveladas, no depoimento de Joesley Batista,...

Alvo de seu 7º inquérito no STF, o tucano foi autorizado a voltar ao Senado e, em seu discurso, se disse “vítima de uma armadilha” e chamou o empresário Joesley Batista, que o delatou, de “criminoso confesso” 

Por Redação 

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) voltou nesta terça-feira (4) ao Senado Federal, após autorização do ministro Marco Aurélio Mello, e já discursou na tribuna para tentar se defender das acusações que culminaram em seu sétimo inquérito no Supremo Tribunal Federal. Ele foi acusado pelo Ministério Público de corrupção passiva e obstrução da Justiça após serem reveladas, no depoimento de Joesley Batista, empresário da JBS, gravações que mostram o tucano pedindo R$2 milhões em propina.

O ministro do STF, Edson Fachin, determinou seu afastamento do Senado, que durou 46 dias. Nesta segunda-feira (3), no entanto, o ministro Marco Aurélio Mello reverteu a decisão, e foi elogiado por Aécio em seu discurso nesta terça-feira (4).

“Foi o ilustre ministro Marco Aurélio que em sua decisão tratou de trazer luzes ao que diz a Constituição. Mostrar com clareza didática que medidas cautelares representam grave violação de princípios constitucionais”, afirmou.

Veja também:  Para Bolsonaro, críticas indicam que o filho é o nome adequado para embaixada

Em sua fala, o tucano, que em uma das gravações fala até mesmo em “matar” um delator, diz que não cometeu crime algum e que é alvo de uma armadilha. Ele ainda chamou Joesley Batista, empresário que o delatou, de “criminoso confesso”.

“Não cometi crime algum, não aceitei recursos de origem ilícita, não prometi vantagens indevidas a quem quer que fosse e tampouco atuei para obstruir a justiça. Fui vítima de uma armadilha engendrada por um criminoso confesso cujas penas passariam de mais de 2 mil anos de cadeia”, disse.

Ao terminar seu discurso, o senador, que foi afastado da presidência nacional do PSDB, saiu aplaudido por colegas senadores.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum