Imprensa livre e independente
16 de agosto de 2017, 08h29

Airbnb cancela contas de neonazistas que pretendiam se hospedar em Charlottesville

Empresa se posiciona mais uma vez contra a intolerância e mostra que marcas podem abraçar uma causa. Da Redação* Nos últimos dias, a cidade americana de Charlottesville voltou a um passado que todos gostariam que estivesse enterrado. Grupos neonazistas, compostos por ultranacionalistas brancos, mostraram a face terrível da intolerância marchando com tochas e gritando contra negros, imigrantes, gays e judeus. Por outro lado, o Airbnb provou que casos como este podem ser combatidos de frente. A empresa – que disponibiliza os serviços de anúncio, descoberta e reservas de acomodações – cancelou reservas e bloqueou contas de usuários que pretendiam se...

Empresa se posiciona mais uma vez contra a intolerância e mostra que marcas podem abraçar uma causa.

Da Redação*

Nos últimos dias, a cidade americana de Charlottesville voltou a um passado que todos gostariam que estivesse enterrado. Grupos neonazistas, compostos por ultranacionalistas brancos, mostraram a face terrível da intolerância marchando com tochas e gritando contra negros, imigrantes, gays e judeus.

Por outro lado, o Airbnb provou que casos como este podem ser combatidos de frente. A empresa – que disponibiliza os serviços de anúncio, descoberta e reservas de acomodações – cancelou reservas e bloqueou contas de usuários que pretendiam se hospedar na cidade para participar da marcha racista.

Segundo o Gizmodo, foram verificados cada um dos perfis interessados em residências em Charlottesville. Eles identificaram quais faziam parte do movimento Unite the Right, e suspenderam permanentemente esses usuários por comportamento antiético e violarem os termos de uso do site.

Brian Chesky, CEO da Airbnb declarou oficialmente que reafirma seu compromisso de proibir usuários cujo comportamento é “antitético ao Compromisso da Comunidade Airbnb”. Disse ainda que “a violência, o racismo e o ódio demonstrados por Neonazista, a ultradireita e supremacistas brancos não devem ter lugar neste mundo”.

Veja também:  Rafinha Bastos para Bolsonaro: "Semana passada abriu as pernas pro Trump e agora critica Bruna Surfistinha?"

Por meio de um porta-voz, a empresa reafirmou seu compromisso em analisar hospedagens reservadas para futuros encontros do Unite the Right ou de outros movimentos relacionados. Informando ainda que esses usuários estarão sujeitos a suspensões preventivas.

Essa não foi a primeira vez em que o Airbnb se posicionou contra grupos racistas e intolerantes. Neste ano, a empresa veiculou um comercial no Super Bowl com uma mensagem de inclusão, atacando diretamente a política xenófoba que tem tomado conta dos Estados Unidos. Assista ao vídeo logo abaixo:

*com informações do Gizmodo
Foto: Reprodução/ Facebook

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum