Imprensa livre e independente
04 de julho de 2019, 18h45

Alberto Fernández, candidato à presidência da Argentina, visita Lula: “Prisão é mácula ao Estado de Direito”

"Que Bolsonaro siga falando mal de mim, ele não sabe o bem que me faz", disse Alberto Férnandez, candidato na chapa de Cristina Kirchner, após se encontrar com Lula em Curitiba

Foto: Eduardo Matysiak
Alberto Fernández, candidato à presidência da Argentina na chapa de Cristina Kirchner, foi a Curitiba visitar o ex-presidente Lula, junto ao ex-chanceler Celso Amorim. Após a conversa, ele falou com jornalistas e afirmou que a prisão de Lula é uma “mácula ao Estado de Direito” e ainda disse que as críticas de Bolsonaro apenas o ajudam. “Para mim é uma alegria ver Lula. Nós, argentinos, temos um enorme reconhecimento e um enorme carinho por Lula. A prisão dele não é algo que passe despercebido. Sou professor de Direito Penal na Universidade de Buenos Aires há mais de 30 anos e...

Alberto Fernández, candidato à presidência da Argentina na chapa de Cristina Kirchner, foi a Curitiba visitar o ex-presidente Lula, junto ao ex-chanceler Celso Amorim. Após a conversa, ele falou com jornalistas e afirmou que a prisão de Lula é uma “mácula ao Estado de Direito” e ainda disse que as críticas de Bolsonaro apenas o ajudam.

“Para mim é uma alegria ver Lula. Nós, argentinos, temos um enorme reconhecimento e um enorme carinho por Lula. A prisão dele não é algo que passe despercebido. Sou professor de Direito Penal na Universidade de Buenos Aires há mais de 30 anos e vejo com muita preocupação essa prisão. É uma mácula ao Estado de Direito”, declarou Fernández, que foi chefe de gabinete da ex-presidenta Cristina Kirchner, sua vice, e lidera as pesquisas eleitorais contra Maurício Macri.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo.

Fernández comparou os casos de Lula com os de Cristina e Rafael Correa, ex-presidente do Equador. “Os processos de Lula e Cristina são muito parecidos, assim como o processo no Equador. Nos três casos os objetos de perseguição são líderes que em algum momento governaram seus países e nos três casos há uma ‘forçação’ das provas para envolver os presidentes em uma coisa que não tem nada a ver com a realidade”, avaliou.

Veja também:  A Lava Jato é um partido sem legenda

O candidato à presidência ainda disse não duvidar da inocência de Lula. “O Brasil não merece ter uma mancha que é a prisão de Lula, o povo brasileiro não merece que alguém como Lula esteja preso. É um homem que a inocência eu não duvido e que tem todo o direito de estar em liberdade para se defender”, afirmou.

Provocações

Questionado sobre as provocações feitas por Jair Bolsonaro, que diz que Fernández vai transformar a Argentina em uma “nova Venezuela”, o candidato disse que não responderia e pediu que o presidente siga o atacando´, porque assim o beneficia. “Não é sério dizer isso, não é sério. Eu não vou responder ao presidente Bolsonaro. Que ele siga falando mal de mim, ele não sabe o bem que me faz”, respondeu o argentino.

Celso Amorim destacou a felicidade de Lula em receber Fernández. “Um candidato que vem visitar um presidente da República preso demonstra uma enorme solidariedade e demonstra que a libertação do Lula é simbólica para toda América Latina”, afirmou Celson Amorim. “Com a vitória do Alberto e da Cristina nós podemos ter esperança na volta da democracia na América do Sul”, completou.

Veja também:  Haddad defende modelo de autonomia universitária em entrevista a Miriam Leitão, na GloboNews

Assistam ao vídeo do depoimento:

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum