Imprensa livre e independente
19 de setembro de 2018, 10h24

Alckmin diz que, se dependesse dele, PSDB não teria participado do governo Temer

Alckmin demorou 15 dias para responder Michel Temer, que publicou vídeo nas redes sociais listando ministros que integraram seu governo que são do PSDB

Geraldo Alckmin. Reprodução/GloboNews
O presidenciável tucano, Geraldo Alckmin, afirmou em entrevista ao Jornal da Globo, na madrugada desta quarta-feira (19), ter sido contra a aliança de seu partido com o governo Temer. “Se dependesse de mim, eu não tinha entrado. Eu falei isso em reunião (…) Nós já não éramos governo há 13 anos”. Alckmin demorou 15 dias para responder Michel Temer, que publicou vídeo nas redes sociais listando ministros que integraram seu governo que são do PSDB. Perguntado sobre a sua posição ruim nas pesquisas, Alckmin disse que chegará ao segundo turno e comparou o cenário atual ao da eleição em 2006. “Se pegar...

O presidenciável tucano, Geraldo Alckmin, afirmou em entrevista ao Jornal da Globo, na madrugada desta quarta-feira (19), ter sido contra a aliança de seu partido com o governo Temer. “Se dependesse de mim, eu não tinha entrado. Eu falei isso em reunião (…) Nós já não éramos governo há 13 anos”.

Alckmin demorou 15 dias para responder Michel Temer, que publicou vídeo nas redes sociais listando ministros que integraram seu governo que são do PSDB.

Perguntado sobre a sua posição ruim nas pesquisas, Alckmin disse que chegará ao segundo turno e comparou o cenário atual ao da eleição em 2006.

“Se pegar a eleição que fui candidato, a 12 dias [da votação] a diferença [minha] para Lula era de 24 pontos na pesquisa. Na hora que abriu a urna, eram 7. (Tiramos) uma diferença de 17 pontos em 12 dias. E nós não estamos a 12 dias, mas quase 20 dias”, disse o tucano.

 

Veja também:  Bolsonaro comete crime ao piratear cena de filme e diz, no Twitter, que vídeo foi "vazado"

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum