Imprensa livre e independente
14 de junho de 2019, 20h49

Aliado de Bolsonaro, governador do RJ lamenta não ter autorização para jogar míssil na Cidade de Deus

"Nós não queremos ver cenas como aquelas que nós vimos, na Cidade de Deus, que se fosse com autorização da ONU em outros lugares do mundo, nós tínhamos autorização para mandar um míssil naquele local e explodir aquelas pessoas", disse o governador Wilson Witzel

Reprodução/Rede Globo
Em solenidade nesta sexta-feira (14), o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), defendeu que a solução para acabar com o tráfico e com “vagabundos bandidos” na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, é o lançamento de mísseis contra a região para “explodir aquelas pessoas”. “O vagabundo bandido quer atalho e aí nós cidadãos não vamos aceitar isso. A nossa polícia não quer matar, mas nós não queremos ver cenas como aquelas que nós vimos, na Cidade de Deus, que se fosse com autorização da ONU em outros lugares do mundo, nós tínhamos autorização para...

Em solenidade nesta sexta-feira (14), o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), defendeu que a solução para acabar com o tráfico e com “vagabundos bandidos” na Cidade de Deus, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, é o lançamento de mísseis contra a região para “explodir aquelas pessoas”.

“O vagabundo bandido quer atalho e aí nós cidadãos não vamos aceitar isso. A nossa polícia não quer matar, mas nós não queremos ver cenas como aquelas que nós vimos, na Cidade de Deus, que se fosse com autorização da ONU em outros lugares do mundo, nós tínhamos autorização para mandar um míssil naquele local e explodir aquelas pessoas”, disse Witzel.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo.

A polêmica declaração foi rechaçada por ONGs de Direitos Humanos e parlamentes. A presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), deputada Renata Souza (PSOL), disse que a fala revela uma mentalidade autoritária e violenta e que segurança pública se faz com estratégia, prevenção e inteligência, não com mísseis e execuções sumárias.

Veja também:  Doutrinado pelo astrólogo Olavo de Carvalho, Abraham Weintraub lança "horóscopo de estudo" no MEC

A ONG Redes da Maré declarou que o que governador fala soa como uma carta branca para policiais que atuam ao arrepio da lei nas favelas do Rio de Janeiro.

Essa não é a primeira vez que o governador causa polêmica por defender posturas violentas por parte da polícia. Em maio, de um helicóptero, Witzel comandou disparos arbitrários em uma favela de Angra dos Reis. Essa ação motivou denúncia do governador por parte de Renata Souza à ONU.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum