Imprensa livre e independente
28 de agosto de 2007, 15h12

Alternativas à transposição estão em Atlas da Agência das Águas, diz pesquisador

Para Apolo Lisboa, coordenador da Caravana, Atlas do Nordeste da Agência Nacional das Águas (ANA) apresenta projetos mais baratos para conviver com a seca

Para Apolo Lisboa, coordenador da Caravana, Atlas do Nordeste da Agência Nacional das Águas (ANA) apresenta projetos mais baratos para conviver com a seca Por Marcia Wonghon O coordenador da Caravana em Defesa do São Francisco e do Semi-Árido, Apolo Lisboa, afirma que uma das alternativas para minimizar os efeitos da seca no Semi-Árido nordestino sem a necessidade de transpor as águas do rio São Francisco é aproveitar o Atlas do Nordeste, elaborado há seis meses pela Agência Nacional de Águas (ANA). Lisboa, que também é professor na Universidade de Minas gerais, lembra que o documento propõe levar água a...

Para Apolo Lisboa, coordenador da Caravana, Atlas do Nordeste da Agência Nacional das Águas (ANA) apresenta projetos mais baratos para conviver com a seca

Por Marcia Wonghon

O coordenador da Caravana em Defesa do São Francisco e do Semi-Árido, Apolo Lisboa, afirma que uma das alternativas para minimizar os efeitos da seca no Semi-Árido nordestino sem a necessidade de transpor as águas do rio São Francisco é aproveitar o Atlas do Nordeste, elaborado há seis meses pela Agência Nacional de Águas (ANA).

Lisboa, que também é professor na Universidade de Minas gerais, lembra que o documento propõe levar água a 34 milhões da região com investimento de R$3,6 bilhões.

“O próprio governo federal tem um projeto mais barato e mais real para beneficiar cerca de mil cidades, com pelo menos cinco mil habitantes”.

Para o vice- presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), Fred Moreira Lima, o projeto de transposição merece crédito, já que passou por um processo de avaliações técnicas e recebeu licença ambiental.

Veja também:  Manuela d'Ávila explica ódio a Dino: "Para alguém como Bolsonaro deve ser mesmo um pesadelo"

“Essa discussão vem rolando há séculos, e não se chegou a uma conclusão para sanar uma dívida histórica com o povo do Nordeste. Propostas complementares são bem-vindas, mas a transposição precisa ser realizada. Só em Pernambuco, vai beneficiar 100 municípios, incluindo 70 no Agreste”.

Nesta terça-feira, 28, a caravna passa o dia no Recife para debater alternativas à transposição, na Universidade Federal Rural de Pernambuco. Desde o dia 19 de agosto, a caravana já percorreu seis capitais brasileiras.

A intenção é buscar um consenso sobre o meio mais rápido e eficaz de distribuir água para população pobre que habita a região do São Francisco sem desperdício de dinheiro.

Integram a caravana pesquisadores, professores universitários, ambientalistas, moradores de áreas próximas ao rio e representantes de comunidades indígenas.

Depois do Recife, ela segue para João Pessoa, Salvador, Aracajú e Maceió.

Agência Brasil

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum