Imprensa livre e independente
19 de fevereiro de 2019, 22h41

Alvo da Lava Jato, Aloysio Nunes pede demissão de cargo no governo de SP

“O fato incontornável é a repercussão negativa desse incidente, que me mortifica a mim e à minha família, e que também pode atingir o governo de Vossa Excelência”, escreveu, em carta para João Doria

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Aloysio Nunes Ferreira pediu demissão nesta terça-feira (19) do cargo de presidente da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (Investe SP), depois de ter sido alvo de mandados de busca e apreensão da Operação Lava Jato, de acordo com informações de Camila Maciel, da Agência Brasil. A decisão foi anunciada após reunião com o governador João Doria. Nunes foi ministro de Relações Exteriores do governo de Michel Temer. Conforme o Ministério Público Federal (MPF), a operação apura um complexo esquema de lavagem de dinheiro de corrupção praticada pela Odebrecht, Paulo Preto e outros três operadores, que atuaram entre os...

Aloysio Nunes Ferreira pediu demissão nesta terça-feira (19) do cargo de presidente da Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade (Investe SP), depois de ter sido alvo de mandados de busca e apreensão da Operação Lava Jato, de acordo com informações de Camila Maciel, da Agência Brasil.

A decisão foi anunciada após reunião com o governador João Doria. Nunes foi ministro de Relações Exteriores do governo de Michel Temer.

Conforme o Ministério Público Federal (MPF), a operação apura um complexo esquema de lavagem de dinheiro de corrupção praticada pela Odebrecht, Paulo Preto e outros três operadores, que atuaram entre os anos de 2007 e 2017. Paulo é apontado como operador de esquemas envolvendo o PSDB em São Paulo.

No pedido de demissão, Nunes diz ter sido surpreendido pela diligência da Polícia Federal. “Não tive até agora acesso aos autos de inquérito em que sou investigado, mas o fato incontornável é a repercussão negativa desse incidente, que me mortifica a mim e à minha família, e que também pode atingir o governo de Vossa Excelência”, escreveu.

Veja também:  Dallagnol sugeriu palestras para jovens: "Turbine Sua Vida Profissional com Ferramentas Indispensáveis"

Nunes destaca que a sua defesa jurídica prestará “irrestrita colaboração com as autoridades para cabal esclarecimentos dos fatos” e afirma ter certeza que a verdade o beneficiará ao final do processo.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum