Imprensa livre e independente
04 de novembro de 2017, 09h19

Após acusação de assédio, Netflix corta Kevin Spacey de ‘House of Cards’

Direção provavelmente “matará” o protagonista para que trama siga sem o ator, que nas últimas semanas foi acusado de assédio por uma série de homens Por Redação A Netflix informou na noite desta sexta-feira (3) que cortará do elenco da série ‘House of Cards’ o ator Kevin Spacey. A “demissão” vem logo após uma série de denúncias de assédio que Spacey está envolvido. Além da série, a revista Variety informou que o ator foi cortado também do filme biográfico ‘Gore’. À agência Reuters, a Netflix informou que não participaria de qualquer produção em que Spacey estivesse envolvido. As denúncias dão...

Direção provavelmente “matará” o protagonista para que trama siga sem o ator, que nas últimas semanas foi acusado de assédio por uma série de homens

Por Redação

A Netflix informou na noite desta sexta-feira (3) que cortará do elenco da série ‘House of Cards’ o ator Kevin Spacey. A “demissão” vem logo após uma série de denúncias de assédio que Spacey está envolvido. Além da série, a revista Variety informou que o ator foi cortado também do filme biográfico ‘Gore’.

À agência Reuters, a Netflix informou que não participaria de qualquer produção em que Spacey estivesse envolvido.

As denúncias dão conta de que o protagonista de House Of Cards assediou ao longo da carreira dezenas de homens com quem trabalhou. Após uma das denúncias, Spacey se assumiu homossexual.

De acordo com jornais norte-americanos, a produção de House of Cards cogita “matar” Frank Underwood, personagem de Spacey, e focar a trama na vida de sua esposa, Claire, interpretada por Robin Wright.

 

Veja também:  Após emendas, Bolsonaro loteia cargos para aprovar Previdência

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum