Imprensa livre e independente
09 de março de 2019, 16h02

Após ataque que causou apagão, venezuelanos protestam contra sabotagem ao País

"Hoje, quando o Império dos EUA, em seu desespero para agarrar os nossos recursos naturais, intensifica a sua brutal agressão contra a pátria, estamos firmes para defender a nossa terra e gritar: Yankee Go Home! Somos antiimperialistas!", tuitou o presidente Nicolás Maduro

Ato contra o imperialismo na Venezuela (Foto: Telesur)
Milhares de pessoas foram às ruas de Caracas neste sábado (9) no aclamado Dia Bolivariano Antiiimperialismo, menos de 24 horas após a Venezuela conseguir restabelecer-se do ataque deixou cerca de 70% do país sem energia, segundo informações da Telesur. “Hoje, quando o Império dos EUA, em seu desespero para agarrar os nossos recursos naturais, intensifica a sua brutal agressão contra a pátria, estamos firmes para defender a nossa terra e gritar: Yankee Go Home! Somos antiimperialistas!”, tuitou o presidente Nicolás Maduro. Hoy, cuando el imperio de los EE.UU., en su desespero por echarle mano a nuestros recursos naturales, intensifica sus...

Milhares de pessoas foram às ruas de Caracas neste sábado (9) no aclamado Dia Bolivariano Antiiimperialismo, menos de 24 horas após a Venezuela conseguir restabelecer-se do ataque deixou cerca de 70% do país sem energia, segundo informações da Telesur.

“Hoje, quando o Império dos EUA, em seu desespero para agarrar os nossos recursos naturais, intensifica a sua brutal agressão contra a pátria, estamos firmes para defender a nossa terra e gritar: Yankee Go Home! Somos antiimperialistas!”, tuitou o presidente Nicolás Maduro.

Segundo Maduro, o apagão foi resultado de uma sabotagem na maior usina hidrelétrica do país, mas a Venezuela conseguiu restabelecer a energia ainda na sexta-feira (8), de acordo com fontes que estão no país e informaram à Fórum.

Veja também:  Ernesto Araújo nega nepotismo e diz que Eduardo Bolsonaro como embaixador "rompe ciclo vicioso"

Oposicionistas também convocaram uma marcha em Caracas, convocada por Juan Guaidó para afrontar os apoiadores do governo, mas foram movidos para as calçadas pela tropa de choque da polícia, levando-os a gritar contra os policiais e empurrar seus escudos. Uma mulher foi atingida com spray de pimenta, de acordo com uma emissora local.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum