Imprensa livre e independente
05 de novembro de 2018, 15h57

Após declarações de Bolsonaro, Egito cancela recepção à comitiva brasileira

O cancelamento acontece depois de diversos anúncios do presidente eleito de que irá mudar a sede da embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

O governo do Egito cancelou a recepção e a agenda com o ministro de Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes Ferreira, que desembarcaria com uma comitiva no país árabe na próxima quarta-feira (7). Nesta segunda-feira (5), segundo informações da Folha de S.Paulo, o governo brasileiro foi informado pelo Egito do cancelamento por mudanças na agenda de autoridades do país. O cancelamento acontece depois de diversos anúncios do presidente eleito de que irá mudar a sede da embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. No sábado (3), a Fórum noticiou que diversos diplomatas de países árabes já haviam demonstrado...

O governo do Egito cancelou a recepção e a agenda com o ministro de Relações Exteriores do Brasil, Aloysio Nunes Ferreira, que desembarcaria com uma comitiva no país árabe na próxima quarta-feira (7). Nesta segunda-feira (5), segundo informações da Folha de S.Paulo, o governo brasileiro foi informado pelo Egito do cancelamento por mudanças na agenda de autoridades do país.

O cancelamento acontece depois de diversos anúncios do presidente eleito de que irá mudar a sede da embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

No sábado (3), a Fórum noticiou que diversos diplomatas de países árabes já haviam demonstrado insatisfação com as intenções do presidente eleito. Segundo relatos de diplomatas, a Liga dos Países Árabes enviou inclusive uma nota à embaixada brasileira no Cairo condenando as declarações do presidente eleito.

Juntos, os países árabes são o segundo maior comprador de proteína animal brasileira. Em 2017, as exportações somaram US$ 13,5 bilhões e o superávit para o Brasil foi de US$ 7,17 bilhões.

Veja também:  Renan Calheiros ironiza e pede que Dallagnol faça delação premiada: "Não dá lucro como as palestras, mas estanca o prejuízo"

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum