Imprensa livre e independente
13 de março de 2019, 06h29

Após prisão de acusados de matar Marielle, Jean Wyllys diz que estava certo de deixar o país

Para Jean Wyllys, “é preciso entender a trama desse assassinato, é preciso saber se ela está conectada com o resultado das eleições”

Jean Wyllys (Arquivo)
Em entrevista à Mônica Bergamo, na edição desta quarta-feira (13) da Folha de S.Paulo, o ex-deputado Jean Wyllys (PSol), que abriu mão do mandato de deputado federal e saiu do Brasil depois de receber ameaças de morte, disse que o maior “impacto” que sentiu ao receber a notícia da prisão dos PMs acusados pela morte de Marielle Franco “foi mostrar que eu estava certo ao sair do país”. Segundo Jean, a prisão de acusados do assassinato de Marielle “mexeu muito” com ele. “Foi um dia dificílimo”, afirma. Ele diz também que foi “enojante” ver o governador do Rio, Wilson Witzel,...

Em entrevista à Mônica Bergamo, na edição desta quarta-feira (13) da Folha de S.Paulo, o ex-deputado Jean Wyllys (PSol), que abriu mão do mandato de deputado federal e saiu do Brasil depois de receber ameaças de morte, disse que o maior “impacto” que sentiu ao receber a notícia da prisão dos PMs acusados pela morte de Marielle Franco “foi mostrar que eu estava certo ao sair do país”.

Segundo Jean, a prisão de acusados do assassinato de Marielle “mexeu muito” com ele. “Foi um dia dificílimo”, afirma.

Ele diz também que foi “enojante” ver o governador do Rio, Wilson Witzel, dar uma entrevista coletiva sobre a morte da vereadora.

Durante a campanha em 2018, Witzel participou de um ato ao lado de correligionários que quebraram uma placa de rua com o nome dela. “Marielle foi difamada pela mesma rede que o ajudou a se eleger. Ele e Jair Bolsonaro foram beneficiados”, diz Wyllys.

Para o ex-deputado, “é preciso entender a trama desse assassinato, é preciso saber se ela está conectada com o resultado das eleições”.

Veja também:  Sem conseguir preencher vagas, Bolsonaro recua e volta a chamar cubanos para o Mais Médicos

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum