Imprensa livre e independente
13 de julho de 2019, 08h58

Após tentativa de protestos, Glenn Greenwald é ovacionado e hashtag ‘Parabéns Paraty’ amanhece em primeiro

Por conta do sucesso do evento e das diversas vaias que o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, tomou a hashtag "Parabéns Paraty" amanheceu em primeiro lugar no TT's do Twitter.

Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Apesar de poucos manifestantes terem tentado impedir Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil de falar nesta sexta-feira (12), na Festa Literária Pirata de Editoras Independentes, extensão da Flip, a palestra do jornalista foi um sucesso e ele foi ovacionado. Em suas redes sociais, Glenn disse que os manifestantes “tentaram, mas não conseguiram” interromper sua palestra. “Suas táticas são autoritárias e fascistas. O evento foi lindo e aqueles que tentaram impedir desistiram. Obrigada, Flipei e Paraty.” Tentaram sim, mas não conseguiram. Suas táticas são autoritárias e fascistas. O evento foi lindo e aqueles que tentaram impedir desistiram. Obrigado, @Flipei...

Apesar de poucos manifestantes terem tentado impedir Glenn Greenwald, editor do site The Intercept Brasil de falar nesta sexta-feira (12), na Festa Literária Pirata de Editoras Independentes, extensão da Flip, a palestra do jornalista foi um sucesso e ele foi ovacionado.

Em suas redes sociais, Glenn disse que os manifestantes “tentaram, mas não conseguiram” interromper sua palestra. “Suas táticas são autoritárias e fascistas. O evento foi lindo e aqueles que tentaram impedir desistiram. Obrigada, Flipei e Paraty.”

Glenn postou ainda que “a tentativa de parar o evento só o fortaleceu”:

Por conta do sucesso do evento e das diversas vaias que o ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, tomou a hashtag “Parabéns Paraty” amanheceu em primeiro lugar no TT’s do Twitter.

Veja também:  Pedido da Rede ao STF sobre investigação contra Greenwald será analisado por Gilmar Mendes

Rojões e Hino Nacional

O ato contra o jornalista surgiu nas redes sociais, encabeçado por apoiadores do ex-juiz Sérgio Moro e das investigações da Lava-Jato. Às 19h, horário que a palestra deveria começar, os manifestantes se reuniram em frente ao barco da Flipei, tocando música alta – como um remix do Hino Nacional – e com rojões.

A palestra, “Os desafios do jornalismo em tempos de Lava Jato”, tinha o objetivo de discutir os desafios de reportar notícias em tempos de polarização política e o poder da informação, assim como o papel da Vaza-Jato na política atual. Além de Glenn Greenwald, também estavam na mesa Alceu Castilho (De Olho nos Ruralistas), Gregório Duvivier (Greg News), Sérgio Amadeu (UFABC) e a mediadora Sabrina Fernandes. A mesa faz parte de uma programação alternativa feita em homenagem ao legado de Euclides da Cunha.

Durante o protesto, uma pessoa da equipe de organização do evento pediu ao público para não reagir com violência. A polícia fez uma ação para conter os manifestantes, cortando o som e permitindo que Glenn pudesse começar sua palestra 30 minutos depois.

Veja também:  Dallagnol disse à esposa que pretendia ganhar até R$ 400 mil líquidos com palestras em 2018

Mais uma vez, o jornalista foi interrompido pelo som alto tocando o Hino Nacional e, mesmo com a presença de policiais, os manifestantes continuaram jogando rojões e fogos de artifício. Como reportado pelo jornal O Globo, um dos rojões atingiu uma árvore, que pegou fogo, mas o incêndio foi contido pela equipe da Flipei.

Mesmo com a dificuldade causada pelos manifestantes, Glenn Greenwald seguiu com a palestra e foi bem recebido pelos participantes que ovacionaram o jornalista quando ele criticou o ex-juiz Sérgio Moro.

Confira o vídeo em que é possível ver trechos da palestra:

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum