Imprensa livre e independente
10 de julho de 2019, 12h53

Após terceiro caso de tremores em público, Merkel tenta afastar rumores sobre sua saúde

A chanceler alemã apresentou o problema pela terceira vez em apenas três semanas, mas assegurou que está tratando o problema: “estou apta para trabalhar”.

A premiê alemã se manifestou após prisão de suspeito por assassinato de aliado (BMVI-DE - 19.set.2019/Arquivo)
Durante encontro em Berlim com o primeiro-ministro finlandês, Antti Rinne, nesta quarta-feira (10), a chanceler alemã Angela Merkel teve outro mal-estar em público, o que acendeu novamente os alertas sobre a sua saúde na imprensa do país. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo Após o incidente, Merkel participou normalmente da entrevista coletiva programada com os jornalistas, onde as perguntas sobre o ocorrido foram inevitáveis, mas ela tentou expressar tranquilidade. “Estou apta para trabalhar, e também me tratando, para resolver o que aconteceu. Esse processo claramente não está finalizado, mas...

Durante encontro em Berlim com o primeiro-ministro finlandês, Antti Rinne, nesta quarta-feira (10), a chanceler alemã Angela Merkel teve outro mal-estar em público, o que acendeu novamente os alertas sobre a sua saúde na imprensa do país.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

Após o incidente, Merkel participou normalmente da entrevista coletiva programada com os jornalistas, onde as perguntas sobre o ocorrido foram inevitáveis, mas ela tentou expressar tranquilidade. “Estou apta para trabalhar, e também me tratando, para resolver o que aconteceu. Esse processo claramente não está finalizado, mas há progresso, e terei de viver com isso por algum tempo, mas asseguro que estou muito bem, e não há motivo para preocupação comigo”, afirmou.

As imagens mostram o corpo de Merkel tremendo durante um momento protocolar do evento, em situação muito parecida a do primeiro caso, há três semanas, quando ela mostrou o mesmo problema durante a visita do presidente ucraniano, Volodymyr Zelenski.

Esta é a terceira vez que Merkel apresenta esse problema em público, em um período de um mês – a segunda foi na véspera da sua viagem à Osaka, para a cúpula do G-20, ao lado do presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier.

Veja também:  Renan Calheiros ironiza e pede que Dallagnol faça delação premiada: "Não dá lucro como as palestras, mas estanca o prejuízo"

Angela Merkel está no poder na Alemanha desde 2005 e atravessa o seu quarto mandato consecutivo, que terminará em 2021.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum