Imprensa livre e independente
16 de maio de 2018, 21h22

Argentina e Brasil juntos: Buenos Aires realiza festival histórico de apoio a Lula

Artistas e personalidades políticas latinoamericanas se reúnem em um grande evento pela democracia do continente; assista ao emocionante vídeo de convite para o evento

Por NINJA Contra a prisão política de Lula e diante da escalada violenta e antidemocrática que estamos assistindo na América Latina, coletivos da Argentina e do Brasil realizam evento de solidariedade continental: Lula Festiva. O festival de arte e ativismo acontecerá dia 19 de maio, na cidade de Buenos Aires, totalmente aberto e gratuito. Para esse momento em que se concretiza ainda mais a união latina pela democracia, foi escolhido um local igualmente forte na história do país hermano: A Plaza de Mayo. Localizada em frente à Casa Rosada, sede da presidência da república da Argentina, o espaço já foi...

Por NINJA

Contra a prisão política de Lula e diante da escalada violenta e antidemocrática que estamos assistindo na América Latina, coletivos da Argentina e do Brasil realizam evento de solidariedade continental: Lula Festiva. O festival de arte e ativismo acontecerá dia 19 de maio, na cidade de Buenos Aires, totalmente aberto e gratuito.

Para esse momento em que se concretiza ainda mais a união latina pela democracia, foi escolhido um local igualmente forte na história do país hermano: A Plaza de Mayo. Localizada em frente à Casa Rosada, sede da presidência da república da Argentina, o espaço já foi palco de várias lutas, inclusive oficialmente reconhecido. Em 2005, o Legislativo da cidade declarou a área em torno da Pirâmide de Maio um Local Histórico, pintando lenços de branco no chão, representando a luta das mães que pediam justiça para seus filhos desaparecidos.

A emergência da situação reunirá apresentações de artistas como Juana Molina, Liliana Herrero, Sudor Marika, Palo Pandolfo, Son del Arroyo, entre tantos outros, vozes que se unem a esse grito pela liberdade de Lula.

Veja também:  Defesa de Lula diz que reportagens do Intercept comprovam verdade histórica de perseguição judicial

Igualmente grave foi o assassinato da vereadora e ativista Marielle Franco. A legisladora denunciava fortemente a violência contra a população pobre, preta e periférica do Rio de Janeiro, além de militar pelas pautas das mulheres, LGBTs e movimentos sociais, constantemente criminalizados em nossa sociedade. No dia 14 de março, ela foi executada por milicianos com 4 tiros no rosto, após se juntar a comissão que iria acompanhar as ações da Intervenção no Rio de Janeiro. Neste mês serão 60 dias sem respostas, mas o festival gritará MARIELLE VIVE por sua memória e luta.

“Lula Festiva, América Latina em emergência” nasce da necessidade de reparação política, por Lula, por Marielle e pela restauração da democracia na América Latina. Os gritos virão de muitas gargantas – setores sindicais, movimentos sociais, mídia independente, organizações feministas, de direitos humanos, trabalhadores e trabalhadoras da cultura que tomarão a capital argentina como um só punho no ar.

A frente da organização estão Emergentes (ARG), Mídia NINJA (BRA), Ni Una Menos (ARG), Media Red (URU), CTEP (ARG), CGT (ARG), CLACSO (LATAM), Centro Cultural de la Cooperación, ATE (ARG), CTA Autónoma (ARG), CTA de los trabajadores (ARG) junto con los aliados, Telartes (BOL), Proderechos (URU), Códigos Libres (VEN) y Cultura de Red (Latam).

Veja também:  Democracia e Vertigem é um filmaço, por Gilberto Maringoni

Cinco países em conjunto pelo Brasil e por um governo que tirou 40 milhões de brasileiras e brasileiros da pobreza, reduzindo-a para 27% no país de maior desigualdade da América Latina. Em prol de Marielle, na última semana 5 dos 7 projetos que a vereadora havia apresentados na Câmara do Rio foram aprovados, garantindo direitos de mulheres e adolescentes cariocas.

Lula é o grande arquiteto de um Brasil democrático e menos desigual. Preso sem provas, segue em 1º lugar nas pesquisas de intenção de voto, sua prisão é política, uma tentativa de impedi-lo de participar das eleições presidenciais de 2018. E Marielle, que deu voz à favela e aos esquecidos, caminhava para um futuro político brilhante, e por isso foi eliminada.

A versão conservadora e fascista do território tupiniquim acredita que com balas e cadeias, as ideias e ideais serão detidos. Mas a exemplo do Brasil que resiste até hoje com marchas, atos, acampamentos e centros de resistência como a Casa da Democracia em Curitiba, a Argentina se ergue para responder:

Veja também:  “Moro teve o gostinho de provar o próprio veneno. Não tem moral para reclamar de vazamento”, diz Boulos

Lula Livre, Marielle Vive e nos vemos em Buenos Aires!

Serviço:
Lula Festiva – América Latina em emergência
Data: 19/05/2018
Local: Praça de Maio
Horário: 18h
Mais informação: culturadered@gmail.com (Latam) | midianinja@gmail.com (Brasil) | emergentes.comunicacion@gmail.com (Argentina)

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum