Imprensa livre e independente
02 de janeiro de 2018, 10h34

Atrizes de Hollywood lançam fundo de defesa contra assédio sexual

Chamado de Time’s Up, o plano inclui apoio subsidiado a mulheres e homens que foram sexualmente assediados, agredidos ou abusados em seu local de trabalho.

Chamado de Time’s Up, o plano inclui apoio subsidiado a mulheres e homens que foram sexualmente assediados, agredidos ou abusados em seu local de trabalho. Da Redação* Mais de 300 atrizes, escritoras, diretoras, agentes e outras executivas do entretenimento revelaram uma iniciativa para enfrentar o assédio sexual generalizado em Hollywood e em empregos da classe trabalhadora em todo os Estados Unidos. O plano, chamado Time’s Up, inclui um fundo de defesa legal que até agora arrecadou US$ 13,4 milhões (cerca de R$ 44,6 milhões) da sua meta de US$ 15 milhões para proporcionar apoio legal subsidiado a mulheres e homens...

Chamado de Time’s Up, o plano inclui apoio subsidiado a mulheres e homens que foram sexualmente assediados, agredidos ou abusados em seu local de trabalho.

Da Redação*

Mais de 300 atrizes, escritoras, diretoras, agentes e outras executivas do entretenimento revelaram uma iniciativa para enfrentar o assédio sexual generalizado em Hollywood e em empregos da classe trabalhadora em todo os Estados Unidos. O plano, chamado Time’s Up, inclui um fundo de defesa legal que até agora arrecadou US$ 13,4 milhões (cerca de R$ 44,6 milhões) da sua meta de US$ 15 milhões para proporcionar apoio legal subsidiado a mulheres e homens que foram sexualmente assediados, agredidos ou abusados em seu local de trabalho.

Ajude a Fórum a fazer a cobertura do julgamento do Lula. Clique aqui e saiba mais.

A iniciativa presta atenção especial a pessoas com baixos salários, como empregadas domésticas, porteiros, garçonetes, trabalhadores de fábricas e da agricultura. “Com muita frequência, o assédio persiste porque os perpetradores e os empregadores nunca enfrentam nenhuma consequência”, expressaram as promotoras do plano, em uma carta aberta publicada no site do grupo, assim como em um anúncio de página inteira no The New York Times e no jornal em espanhol La Opinión.

Veja também:  Palestras de Deltan Dallagnol ainda são vendidas pela internet

“Seguimos comprometidos a fazer com que nossos lugares de trabalho sejam responsáveis, promovendo mudanças rápidas e efetivas para que a indústria do entretenimento seja um lugar seguro e equitativo para todos”, afirma a carta. Também promete contar “histórias de mulheres através de nossos olhos e vozes com o objetivo de mudar a percepção e o tratamento das mulheres de nossa sociedade”. E chama as mulheres para se vestirem de preto na cerimônia dos Globos de Ouro de domingo (7), como uma declaração contra a desigualdade de gênero e racial, assim como para aumentar a consciência sobre os esforços do grupo.

O movimento se formou depois de que uma avalanche de acusações pôs fim à carreira de homens poderosos do entretenimento, dos negócios, da política e dos meios de comunicação, provocada pelo escândalo de má conduta sexual do produtor de Hollywood Harvey Weinstein.

Entre os membros do Time’s Up estão as atrizes Cate Blanchett, Ashley Judd, Natalie Portman e Meryl Streep (foto), a presidente da Universal Pictures, Donna Langley, a escritora feminista Gloria Steinem, a advogada e ex-chefe de gabinete de Michelle Obama, Tina Tchen, e uma das presidentes da Nike Foundation, Maria Eitel.

Veja também:  Conversa Afiada, de Paulo Henrique Amorim, chega a 1 milhão de inscritos no YouTube

*Com informações do G1

Foto: Creative Commons

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum