Avatar de Arabizando

Arabizando

Arabizando é uma plataforma em língua portuguesa fundada em 2013 por Thomas Farran, especialista em História e Política Árabe Moderna, com o objetivo de reunir profissionais e instituições de todo o mundo para a divulgação da cultura árabe em geral, abrir espaço para a discussão política da região sob um olhar mais crítico e alternativo e se apresentar como um espaço para dar voz à causa palestina

  • Para comer 1

    Hommus bi tahini    حمّص بطحينة Hommus bi tahini, ou simplesmente Hommus (árabe para “grão-de-bico”), é um prato obrigatório em qualquer Mezze que se preze.Especialidade de origem levantina, mas de data discutível, é extremamente popular e muito apreciada em todo o Oriente Médio, e não só. De fácil preparo, é  parte complementar de qualquer refeição e pode […]

  • Porque não intervir

    Com a iminência de um ataque, liderado pelos EUA, contra a Síria, e com todo os motivos do mundo dados pelos abutres do “Mundo Livre”, e os gangsters e parasitas ideológicos que repetem quase que como um mantra que a intervenção é necessária, um direito, e até semidivina, é um dever lembrarmos dos factos.À parte do histórico […]

  • Iraque 2.0 ?

    Por Thomas FarranDois anos e meio. Mais de 100 mil mortos. Cerca de 1.5 milhão de refugiados. Meias verdades.São esses os números da guerra civil síria. E era de se esperar que depois do embuste que foi a invasão do Iraque em 2003, mais do que a imprensa, mas a humanidade havia aprendido algo. Talvez […]

  • Para falar 1

     yalla   يلّا    «Yalla», é uma palavra do árabe coloquial de existência comum em todos os dialetos árabes, e deriva da abreviação da expressão ya Allah (meu Deus). Justamente por ser coloquial, não tem uma grafia oficial.      Apesar do uso mais comum da palavra ser o equivalente no português do Brasil a “vâmo”, […]

  • E agora, Egito?

    Por Thomas FarranCom a violenta repressão dos que se opõe ao golpe, e com a retórica inflamada da liderança da Irmandade Muçulmana, o Egito está em uma fase socialmente sem ponto de retorno. Independente da vertente política que se adota, ou do ponto de vista que lhe seja conveniente, não se pode escapar à objetividade sobre […]

  • Para ler 1

    Para a primeira recomendação de leitura do blog, indico «As cruzadas vistas pelos Árabes», de Amin Maalouf.O livro, de linguagem simples e muito detalhada, apresenta uma prestação alternativa da história das Cruzadas, entre os séculos XI e XIII, com uma narrativa construída a partir de relatos árabes da época.Com certeza, um bom livro tanto pela […]

  • Que pena, já ninguém vive mais lá!

    (Por Bassem Youssef) Parabéns a todos: finalmente nos livramos da Irmandade Muçulmana (I.M) para sempre. Que peso saiu de nossas costas! Finalmente nós teremos um Egito sem Irmandade e, se Deus quiser, teremos um sem salafis também. Será apenas uma questão de tempo até que os membros da I.M sejam colocados atrás das grades, e […]

  • Entre faraós e generais

                Por Thomas Farran          Muito se comenta sobre os recentes eventos no Egipto, e no cenário atual a qualidade dos comentários e artigos mais levantam questões do que propriamente as respondem. O grande problema aqui, é que não se pode entender a parte sem se ter uma noção do todo.             Voltemos atrás. […]