Avatar de Dennis de Oliveira

Dennis de Oliveira

Jornalista e professor da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP).

  • O samba sempre lava a alma negra

    A resistência existe nos fundamentos ancestrais e nas tradições que são controlados por mulheres negras e homens negros que controlam os espaços sagrados do samba

  • A condenação de Lula e aqueles que saem do seu devido lugar

    Por Dennis de Oliveira Cena 1 – A presidente (como ela gosta de ser chamada ao invés de presidenta) do Supremo Tribunal Federal, Carmem Lúcia, dispara do jantar que participava, organizado pelo site Poder 360: a Corte não iria rediscutir a questão da prisão após decisão de segunda instância pois isto seria um “apequenamento” do […]

  • Mídia hegemônica destaca quando negro é responsabilizado pelo racismo

    O antropólogo Antonio Risério e a ex-consulesa da França, Alexandra Loras, por vias distintas, responsabilizam negras e negros pelo racismo, ao associar as bandeiras e reivindicações do movimento negro a posições autoritárias que dizem combater. E, não por acaso, os dois ganham destaque na mídia hegemônica.

  • Negros escravizados na Líbia: por que a indiferença?

    Por Dennis de Oliveira “Rezo por aqueles que sofrem pela escravidão na Líbia. Que Deus esteja com vocês e que esta crueldade termine já!”, escreveu nas redes sociais o jogador Pogbá, camisa 10 da seleção francesa que, no dia 19 de novembro comemorou o gol marcado defendendo a equipe inglesa do Manchester United fazendo um […]

  • Rafael Braga, a representação do preso político dos dias atuais

    No dia 31 de julho, entidades do movimento negro em todo o Brasil realizaram atos-vigilia em defesa da libertação de Rafael Braga. A Justiça deverá julgar o pedido de habeas corpus no dia 1º. de agosto. Independente do resultado, a prisão de Rafael Braga é a representação do que são as classes perigosas na contemporaneidade […]

  • A USP vai ficar preta

    Certa vez fui a aula com uma camiseta do Jackson 5 e muitos riram da minha cara. Percebi que dos quase 100 alunos da turma de Comunicação Social (era tudo junto no primeiro ano), apenas três ou quatro vieram de escola pública como eu. Funkeiros-groove acho que só eu.

  • Práticas fascistas crescem e atingem movimentos sociais e grupos periféricos

    A criminalização da política e a sustentação do pleno poder a determinadas instituições sedimenta o caminho para a edificação de um “fascismo branco” que se realiza a despeito do funcionamento “regular” dos aparelhos de poder democráticos. A total soberania de mídia e judiciário é danosa para a democracia. Mais que isto: para os movimentos sociais e a periferia.

  • Brasil passa vergonha nas Nações Unidas na reunião de direitos humanos

    No dia 5 de maio, em Genebra, o Conselho de Direitos Humanos da ONU cobrou do Brasil a consolidação e evolução nas suas políticas de direitos humanos. O país passou vergonha. A reunião da ONU foi para realizar a chamada RPU (Revisão de Políticas Universais de Direitos Humanos). E aí mais de cem intervenções de […]