Avatar de Letícia Penteado

Letícia Penteado

Reflexões de uma mãe anarquista do século XXI.

  • Feminismo é amor

    O mesmo amor que me faz levantar contra quem age de forma a ferir quem eu amo, hoje me faz levantar por mim mesma, seja com raiva ou não.

  • Quem (não) é a vítima?

    ****Aviso de conteúdo sensível – caso de Goiás****                   Eu sofri bullying e abuso sexual na escola entre 13 e 14 anos. Já falei sobre isso antes. Se eu tivesse uma arma à minha disposição, talvez tivesse matado alguém. Talvez tivesse me matado. Talvez ambos. Não estou dizendo que […]

  • Freixo, Priscila e Isadora

    Nesta semana, Priscila Soares (vulgo “ex-mulher de Freixo”, segundo a maior parte da mídia) denunciou, por meio das redes sociais, o machismo que sofreu durante sua relação com um dos políticos atualmente mais proeminentes da esquerda dita mais à esquerda: Marcelo Freixo, PSOL. Como exposto por Maria Elisa Maximo, do Catarinas, “Denunciar o machismo e a misoginia […]

  • Confiando

    Há mais ou menos um mês, eu, junto com a minha família, entrei num barco. No fluxo, o barco balançou, chacoalhou, rodopiou. E eu enjoei, vomitei, chorei. Senti saudades da terra firme de onde eu vinha antes. Senti vergonha da minha dificuldade de me manter de pé ali dentro. Senti raiva do barco, das pessoas […]

  • Ode à raiva

    Sou filha de Marte num tempo de fogo. Nasci para guerrear. Para ser forte. Para ser brava. Acho que, na superfície, a emoção com que eu estou mais familiarizada é a raiva. Essa que, para tantas pessoas, é a marca da involução. Eu gosto da minha raiva. Ela é parte de mim e minha aliada, […]

  • O terrorismo machista

    *****AVISO DE CONTEÚDO SENSÍVEL: violência doméstica, violência contra criança, chacina de Campinas, terrorismo machista.***** Aconteceu na virada do ano, em Campinas. O cara, inconformado com o regime restrito de suas visitas ao filho, matou doze pessoas, dentre elas a própria criança. O menino foi o último a ser morto, antes de o próprio atirador cometer suicídio; é de arrepiar […]

  • Cultivando o estupro

    Os acontecimentos recentes no Rio reacenderam o debate sobre cultura do estupro. Afinal, como é possível que trinta e três homens “façam sexo” com uma moça desacordada e postem vídeos se gabando disso, como se não entendessem que praticaram um crime? Como é possível que a vítima de tamanha brutalidade seja tão selvagemente atacada por […]

  • Como se fosse a primeira e a última

    Um amigo meu me contou que o filho tem enrolado muito para dormir. Deita, daí pede para ir ao banheiro (onde não faz nada), daí pede um lanche, daí pede água, daí pede história, daí… tem pai ou mãe por aí que não saiba o que é isso? Então que, outro dia, o menino, além […]

  • Dando conta

    Estou no restaurante. Pedi macarrão, mas a chef já me avisou que vou receber é carne assada. O garçom entra na cozinha. Ouço a treta da minha mesa – nananinanão, a cozinha é restrita a chefs e ele é garçom. Cada pessoa no seu quadrado. Fico preocupada com uma eventual escalada da discussão, mas tudo […]

  • Independência ou desamparo?

    ****Vou usar a palavra “independência” no sentido de capacidade de fazer por si só, sem a ajuda de outras pessoas. Não usarei a palavra “autonomia” porque esta, para mim, tem um sentido mais ligado a regrar-se, escolher agir de determinada forma, sem que isso parta de um estímulo externo, o medo de alguma punição ou […]

  • Sobre amar Kilgrave

    *** ATENÇÃO!!! Este texto contém spoilers da primeira temporada da série Jessica Jones, da Marvel (disponível no Netflix). Tejem avisades. ;) *** Jessica Jones é uma série sobre uma moça que tem superforça e trabalha como detetive particular. A personagem, interpretada por Krysten Ritter, é egoísta, cínica, sarcástica… na verdade, ela é bem daquele jeito […]

  • Esperança

    Muita gente tem me dito que perdeu a esperança, ou a fé, na humanidade. Que não acredita que possamos mudar o caminho em que estamos, que somos uma espécie fadada à extinção. Eu não vejo isso. Eu ofereço escuta para muitas pessoas e muitas delas são mulheres tentando sair de relacionamentos abusivos. E eu vejo […]

  • Não fui eu que comecei

      Será? Sentimos mais prontamente e profundamente a dor que é nossa. Isso é natural, porque a pele que sente é a nossa. É necessário um esforço para pensarmos em como outra pele, revestindo outra pessoa, pode receber o contato conosco, lembrarmos que, assim como há coisas que nos ferem e não ferem outras pessoas, […]

  • Maria e João

    Era uma vez duas crianças, Maria e João, que viviam com sua mãe e seu pai em um casebre muito pobre. O pai, lenhador, era um homem muito triste e muito bravo, que trabalhava para uma carvoaria. Sua vida era tirar as vidas das árvores e, assim, de tudo o que dependia delas para viver. […]