Avatar de Rodrigo Perez Oliveira

Rodrigo Perez Oliveira

Nasceu no Rio de Janeiro em 30/01/1986, é historiador, tendo se formado na educação pública das primeiras letras ao doutorado. Vivendo em Salvador desde 2017, onde atua como professor de Teoria da História na Universidade Federal da Bahia, o autor pesquisa a história do pensamento político brasileiro e os usos do passado no texto historiográfico e nas narrativas políticas, temas que foram explorados nos livros “As armas e as letras: a Guerra do Paraguai na memória oficial do Exército brasileiro”, publicado pela editora Multifoco em 2013, e “Conversas sobre o Brasil: ensaios de síntese histórica”, pela editora autografia em 2017.

  • Quem dará o golpe no Brasil?

    Leia na coluna de Rodrigo Perez Oliveira: “Os generais da reserva, comandantes sem tropa, leões sem dentes, ameaçam a nação com um golpe, porque estão até o pescoço atolados no esgoto bolsonarista”

  • Lula sabe o que faz

    Leia na coluna de Rodrigo Perez: Lula leu perfeitamente o cenário. Entendeu que não dá mais ser conciliador, que não dá para ser estadista. Voltou, então, às origens, menos por convicção ideológica e mais por estratégia de sobrevivência

  • O platô da curva bolsonarista

    Leia na coluna de Rodrigo Perez: Parte da população brasileira morreu para o convívio democrático. Essa gente não volta mais à razão. Eles precisam ser isolados

  • Doutrina bolsonarista

    Rodrigo Perez Oliveira: "O vídeo é o tratado de definição da doutrina bosonarista. É o texto que Olavo de Carvalho não escreveu."

  • Questão militar

    Leia na coluna de Rodrigo Perez: "Até agora, eles nunca estiveram do mesmo lado. Até agora"

  • A miopia do moralista sanitário

    Leia na coluna de Rodrigo Perez: "Quando a Covid-19 chegou ao Brasil, encontrou o país devastado por uma grave crise democrática, com serviços públicos sendo precarizados e direitos trabalhistas sendo cassados"

  • Os donos da crítica

    Leia na coluna de Rodrigo Perez: "Lavajatismo e bolsonarismo nunca foram iguais. Durante algum tempo, foram aliados táticos. A partir de agora serão inimigos mortais, disputando na unha aquele que é o capital político mais valioso no Brasil dos nossos dias: a crítica antissistêmica"

  • A disputa pelo antibolsonarismo

    Leia na coluna de Rodrigo Perez: “Bolsonaro é o colapso da democracia, é o crítico, é o outsider. O resultado é o caos administrativo. Resultado não! O caos é o projeto, o objetivo. Bolsonaro só existe no caos”

  • A lógica da crítica bolsonarista

    Leia na coluna de Rodrigo Perez: A força de Bolsonaro não pertence exatamente a ele, mas sim aquela que talvez seja a principal condição estrutural da modernidade ocidental, consolidada em algum momento do final do século XIX, e caracterizada pela crítica, pela desconfiança e pela premissa de que a realidade é manipulada pelos “poderosos”

  • A política não faz quarentena

    Leia na coluna de Rodrigo Perez: "Bolsonaro é o apostador de pé diante da roleta, tentando antecipar os próximos lances do jogo"

  • O doce som das panelas

    Leia na coluna de Rodrigo Perez: Sei que é desopilador chegar à janela, bater com força a colher de pau no fundo da frigideira e gritar “fora Bolsonaro”. Mas não é suficiente. É necessário mostrar para as pessoas que a crise sanitária é potencializada pelo desmonte do Estado em curso no Brasil desde 2016

  • Pior que a ditadura militar, só a ditadura miliciana

    Leia na coluna de Rodrigo Perez: “Se a história do Brasil for novamente sangrada por uma ditadura, tudo indica que não será uma ditadura militar. Será uma ditadura miliciana, o que é muito pior”

  • O Carnaval está sempre certo!

    Leia na coluna de Rodrigo Perez: “Como cada caso é um caso, é muito difícil ter uma resposta única que não caia no dogmatismo tradicionalista ou no extremismo identitário. O bom senso continua sendo o melhor conselheiro”