O que o brasileiro pensa?

#Raphael Silva Fagundes

04 de julho de 2020, 11h20

4 de julho e 7 de setembro: a fundação de nações racistas

Raphael Fagundes lembra que, no Brasil, a ideologia do branqueamento entendia que a mistura entre brancos e negros, com o tempo, iria eliminar a espécie africana


29 de junho de 2020, 22h55

Da política da merda à política de merda

Leia na coluna de Raphael Fagundes: A política da merda está relacionada à divisão do direito burguês entre o público e o privado, no qual o Estado passa a ser o representante da nação tornando-se algo puro. A política de merda do governo Bolsonaro promove a inversão deste processo. Os empresários, os responsáveis pela acumulação primitiva, têm sua merda socializada


26 de junho de 2020, 23h02

Digam a Orwell e Huxley que o futuro não é como imaginaram

Leia na coluna de Raphael Fagundes: “A discussão sobre moralidade, a qual presenciamos diariamente, é de extrema importância neste processo. Joga-se luz sobre ela para deixar na escuridão as contradições econômicas”


15 de junho de 2020, 17h32

Esta é a melhor época para o capitalismo sobreviver a uma crise

Leia na coluna de Raphael Fagundes: "O que chamamos hoje de fascismo nada mais é do que uma radicalização do capitalismo, mantendo a democracia e fortalecendo o mercado"


08 de junho de 2020, 18h40

Um influencer branco do século XVII diria: “somos racistas porque os negros são escravos”

"Manter os negros na condição de exclusão velada ainda é um projeto de poder político. Discursos que legitimam o racismo e a violência contra os favelados se ancoram nesse projeto"


02 de junho de 2020, 22h42

Como a queda de Bolsonaro nos tornaria seres humanos melhores

Leia na coluna de Raphael Fagundes: Bolsonaro se tornou não apenas um problema social ou político, mas de saúde pública e científico, um óbice para a evolução humana. Seu culto ao caos promove o estacionamento das espécies


25 de maio de 2020, 22h45

Convencidos por uma máquina: os robôs e a opinião reacionária

Leia na coluna de Raphael Fagundes: é a repetição o principal ingrediente retórico agenciado automaticamente pelos robôs que se aproveitam da ignorância política para forjar uma opinião pública perigosa


19 de maio de 2020, 17h55

As origens capitalistas do trabalho fora de casa

"Antes, o servo tinha acesso direto aos meios de produção. Cultivava sua horta, seu pasto, fazia sua própria roupa etc. Existia mais-valia somente quando o camponês era obrigado a trabalhar gratuitamente para o senhor feudal"


13 de maio de 2020, 19h10

Os abolicionistas eram chamados de comunistas

Leia na coluna de Raphael Fagundes: "Desde muito, ser chamado de comunista é um xingamento proferido por conservadores e reacionários, de um modo geral, contra àqueles que clamam por justiça social"


05 de maio de 2020, 22h49

Bolsonaro se prepara para dizer/fazer a próxima merda

Leia na coluna de Raphael Fagundes: “A crise econômica, a polaridade política, o discurso de ódio etc, são condições sine qua non para que Bolsonaro permaneça no poder”


30 de abril de 2020, 23h21

A história do ato de lavar as mãos

Curiosamente, ao longo da história, a prática não estava relacionada com a saúde. Leia na coluna de Raphael Fagundes


27 de abril de 2020, 21h14

A crise e Bolsonaro: ele precisa dela e ela, dele

“A cada espetáculo que Bolsonaro promove, um caso envolvendo seus filhos é abafado. A demissão de Moro foi o caso mais evidente”, diz Raphael Fagundes


22 de abril de 2020, 22h05

A culpa não é do Cabral, mas das elites que persistem no poder

Leia na coluna de Raphael Fagundes: "Será o rompimento com essas elites que libertará o país de um projeto que vem desde o seu descobrimento, inaugurando finalmente uma nova fase em nossa história"


21 de abril de 2020, 22h00

A hipocrisia do discurso contrário ao isolamento social em tempos de pandemia

Leia na coluna de Raphael Fagundes: "Não foi a pandemia que criou essa realidade, mas o capitalismo"


18 de abril de 2020, 20h42

O agente imbecilizador: a figura do líder na hipermodernidade

Leia na coluna de Raphael Fagundes: Bolsonaro é fruto da experiência hipermoderna brasileira. Apresenta-se como aquele que enfrenta a mídia tradicional, a mídia usada pelos líderes de outrora