Imprensa livre e independente
23 de maio de 2019, 08h34

Bancos são delatados por Odebrecht

Foi a primeira vez, em mais de cinco anos de Lava Jato, que agentes estiveram numa instituição financeira para colher material para investigações

Foto: Divulgação
A operação Lava Jato chegou aos bancos. Um ex-executivo da Odebrecht disse que ao menos dois banqueiros ajudaram ex-funcionários da empresa a lavar dinheiro no esquema de pagamento de propinas da construtora. Um deles é Álvaro Augusto Vidigal, que foi presidente da Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) entre 1991 e 1996 e é o atual diretor-presidente do Banco Paulista. O outro é o dono do Trendbank, Adolpho Mello Neto, que já responde a um processo na Lava Jato por lavagem de dinheiro. As revelações foram feitas em depoimentos prestados à força-tarefa da Operação Lava Jato, que iniciou sua investida...

A operação Lava Jato chegou aos bancos. Um ex-executivo da Odebrecht disse que ao menos dois banqueiros ajudaram ex-funcionários da empresa a lavar dinheiro no esquema de pagamento de propinas da construtora.

Um deles é Álvaro Augusto Vidigal, que foi presidente da Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) entre 1991 e 1996 e é o atual diretor-presidente do Banco Paulista. O outro é o dono do Trendbank, Adolpho Mello Neto, que já responde a um processo na Lava Jato por lavagem de dinheiro.

As revelações foram feitas em depoimentos prestados à força-tarefa da Operação Lava Jato, que iniciou sua investida contra instituições financeiras recentemente, em sua 61ª fase, deflagrada em 8 de maio. Na ocasião, policiais federais cumpriram mandados de busca e apreensão na sede do Banco Paulista, em São Paulo.

Foi a primeira vez, em mais de cinco anos de Lava Jato, que agentes estiveram numa instituição financeira para colher material para investigações.

As transações, segundo investigações da PF (Polícia Federal) e do MPF, eram pagamentos a empresas de fachada criadas por integrantes da Odebrecht. Eles recebiam comissões por concretizar o pagamento das propinas pagas pela companhia em busca de facilidades em seus negócios.

Veja também:  Eduardo Bolsonaro compartilha tuite dizendo que não aceitará decisão do STF de libertar Lula

Três funcionários do Banco Paulista foram presos preventivamente. O presidente não foi preso. No entanto, de acordo com o depoimento de Olívio Rodrigues Júnior, ex-integrante do chamado “setor de Operações Estruturadas” da Odebrecht, ele conhecia e autorizava as operações que levaram seus empregados à prisão.

Segundo o MPF (Ministério Público Federal), o esquema com a Odebrecht no banco teria movimentado R$ 48 milhões.

Em outro depoimento, no ano passado, o mesmo ex-executivo da Odebrecht informou que Adolpho Mello Neto, dono do Trendbank, também atuou na lavagem de dinheiro da empreiteira. As declarações foram dadas ao então juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça.

Com informações do UOL

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum