Blog do Rovai

01 de julho de 2012, 19h42

Depois de SP, a eleição de Recife é a mais importante de 2012

A eleição de São Paulo é a mais importante de 2012 não só por conta de ser travada na maior cidade do país, mas porque o maior líder da oposição, José Serra, está na disputa. Se vencer, ele se habilita para novas disputas, podendo se recandidatar a presidência da República em 2014 ou ainda incentivar uma candidatura presidencial de Geraldo Alckmin para poder disputar o governo do estado.

A derrota de Serra praticamente encerra sua participação na vida pública, o que não é pouca coisa. Afinal, desde 2002 é o principal protagonista do PSDB.

Há outras cidades grandes do país que terão disputas interessantes. No Rio de Janeiro, por exemplo, tudo indica que Eduardo Paes (PMDB) vai renovar seu mandato, mas a candidatura de Marcelo Freixo tem conseguido apoio de uma sociedade civil que não está satisfeita com a hegemonia peemedebista no estado. E há gente de todos os partidos que está embarcando na canoa do candidato do PSoL.

Esse movimento é capaz de alterar a lógica da disputa. Até porque, é bom lembrar, na cidade do Rio de Janeiro, Marina Silva ganhou a eleição no primeiro turno presidencial. Há uma grande fatia do eleitorado que pode ser conquistada por Freixo.

Veja também:  Parlamentares do PT entram com ação de notícia-crime contra procuradores da Lava Jato

Claro que se vier a ganhar a eleição do Rio, o PSoL terá de reinventar e isso será o grande fato novo desta eleição.

Mas há uma disputa que não precisa do “fator surpresa” para ser importantíssima para o que vai acontecer em 2014. É a de Recife. Depois da decisão do governador Eduardo Campos em lançar um candidato do PSB à prefeitura, ficou claro que o PSB pretende ampliar sua hegemonia no Nordeste e que o movimento do partido em Fortaleza, onde também vai ter candidato contra o PT, não foi uma atitude isolada da família Ferreira Gomes.

O PSB quer testar sua força para ou conseguir a vaga de vice na chapa da presidenta Dilma ou para lançar Eduardo Gomes como candidato a presidente buscando criar um novo campo político.

Há também uma possibilidade que não pode ser desprezada. A de o partido preferir ir de Aécio Neves em 2014. Até porque, em Belo Horizonte isso acaba de acontecer. Como o PSDB exigiu que o PT estivesse fora da chapa de vereadores do PSB para apoiar Márcio Lacerda, o partido de Campos preferiu romper com o PT. E ficar com Aécio.

Veja também:  Dirigente do PT lança Haddad presidente do partido: "presente ao povo brasileiro e à democracia"

No PT, membros da direção nacional já registraram a movimentação de Campos e por isso ganhar em Recife passou a ser considerado estratégico. Como também passou a ser muito importante vencer em Fortaleza e Salvador. Se vier a perder nessas três cidades, o PT enfraquece demais suas bases nordestinas e pode vir a ter dificuldades na reeleição de Dilma.

Não é só a prefeitura de Recife que vai estar em disputa nas eleições municipais da capital pernambucana deste ano. Há outras coisas em jogo. E tanto PSB e PT sabem disso.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum