Blog do Rovai

26 de maio de 2016, 18h07

Em novo áudio Renan confirma: Aécio é o cara mais vulnerável do mundo  

Renan ainda diz que Pauderney Avelino e o ministro da Educação, Mendonça Neto, são corruptos

Renan Calheiros tinha escapado na primeira leva de áudios que haviam sido vazados da delação de Sérgio Machado. Neste blogue, inclusive, se registrou que ele havia ganhado força para questionar a Lava Jato. Mas também é verdade que o blogueiro, macaco velho, colocou um PS  ao fim do texto dizendo que a análise se referia àquele áudio. E que outros poderiam surgir.

Hoje surge o dito cujo, dessa vez divulgado pelo Jornal Hoje, da Rede Globo, onde o presidente do Senado, entre outras coisas, aparece realizando uma negociação para salvar o ex-senador Delcídio Amaral, antes de ele delatar, da cassação e em que chama Rodrigo Janot de mal caráter.

Achar o Procurador Geral da República um mal caráter não é em si um crime. Se trata de uma opinião. Mas leva Renan a se indispor com aquele que hoje de alguma forma opera a Lava Jato. E que parece, com a devida venia, Dr. Janot, ter algum nível de responsabilidade pelos vazamentos que hoje colocam Renan, Sarney e Jucá no olho do furacão.

Mas o mais interessante do áudio divulgado há pouco pelo Jornal Hoje, da Rede Globo, é quando Sérgio Machado e Renan conversam sobre alguns ditos expoentes do Congresso.

Aécio, sempre ele, aparece citado como o mais vulnerável do mundo. E Pauderney Avelino e Mendonça Neto, que é ministro da Educação e ia ser também o da Cultura, como corruptos. E fica claro, lendo a transcrição abaixo, que o mais vulnerável do mundo (Aécio) seria o mais corrupto, segundo Renan e Machado.

Além do áudio de Renan surgiu mais um de Sarney, em que ele apresenta sua estratégia a Machado para que consigam se aproximar do ministro do Supremo Teori Zavascki.

Esses dois novos áudios tornam a situação de Temer ainda mais delicada. Porque Renan terá agora dificuldade muito maior para coordenar o Senado. E isso pode fragilizar o presidente interino e ilegítimo na segunda votação que seria definitiva para a cassação de Dilma.

Uma questão, porém, chama a atenção nessa nova fornada de vazamento. Ela não se deu pelas mãos do repórter Rubens Valente, da Folha de S. Paulo.

Veja também:  "É assustador", diz Paulo Pimenta sobre comentários de procuradores na Vaza Jato

Entre outras coisas, parece haver uma coordenação de vazamento para criar constrangimento e medo nos políticos que estão na mira. Ao ir soltando provas aos poucos, os investigadores vão deixando seus alvos completamente perdidos e sem saber como agir. Ou seja, sem ter condições de defesa.

Renan, por exemplo, soltou uma nota hoje se humilhando perante a Lava Jato e a PGR. E dessa forma, a Operação vai subindo degraus e deixando a política cada vez menor e mais acuada.

Vazamentos já não são em si procedimentos corretos e nem louváveis. Quando realizados dessa forma são uma ação com toque fascista. Podem até ser engraçados do ponto de vista da narrativa, mas não deveriam ser comemorados por aqueles que prezam a democracia e o Estado de Direito.

Leia a transcrição dos diálogos, segundo o Jornal Hoje:

Sobre Delcídio:

RENAN: O que que ele (Delcídio) tem que fazer… Fazer uma carta, submeter a várias pessoas, fazer uma coisa humilde… Que já pagou um preço pelo que fez, foi preso tantos dias… Família pagou… A mulher pagou…
WANDEMBERG: Ele (Delcídio) só vai entregar à comissão, fazer essa carta e vai embora.
RENAN: Conselho de ética. Falei agora com o João (João Alberto, presidente do Conselho de Ética). O João, ele fica lá ouvindo os caras… O Conselho de Ética não tem elementos para levar processo adiante. Também é ruim dizer que não vai levar o processo adiante. Então, o Conselho de Ética tem que requerer diligências requisição de peças e enquanto isso não chegar fica lá parado…
WANDEMBERG: (João Alberto) vai colocar em votação e vai ter uma derrota antecipada…

Sobre Janot, a força-tarefa da Lava Jato e políticos

SÉRGIO MACHADO: Agora esse Janot, Renan, é o maior mau caráter da face da terra.
RENAN: Mau caráter! Mau caráter! E faz tudo que essa força-tarefa (Lava jato) quer.
SÉRGIO MACHADO: É, ele não manda. E ele é mau caráter. E ele quer sair como herói. E tem que se encontrar uma fórmula de dar um chega pra lá nessa negociação ampla pra poder segurar esse pessoal (Lava Jato). Eles estão se achando o dono do mundo.
RENAN: Dono do mundo.
SÉRGIO MACHADO: E o PSDB pensava que não, mas o Aécio agora sabe. O Aécio, Renan, é o cara mais vulnerável do mundo.
RENAN: É…
SÉRGIO MACHADO: O Aécio é vulnerabilíssimo. Vulnerabilíssimo! Há muito tempo.
SÉRGIO MACHADO: Como que você tem cara de pau, Renan, aquele cara Pauderney que agora virou herói. Um cara mais corrupto que aquele não existe, Pauderney Avelino.
RENAN: Pauderney Avelino.
RENAN: Mendocinha.
SÉRGIO MACHADO: Mendocinha, todo mundo pô? Que *** é essa querer ser agora o dono da verdade?
SÉRGIO MACHADO: O Zé (Zé Agripino) é outro que pode ser parceiro, não é possível que ele vá fazer maluquice.
RENAN: O Zé, nós combinamos de botá-lo na roda. Eu disse ao Aécio e ao Serra. Que no próximo encontro que a gente tiver tem que botar o Zé Agripino e o Fernando Bezerra. Eu acho.
SÉRGIO MACHADO: O PSB virou uma oposição radical. O Zé não tem como não entrar na roda.
RENAN: O PSB quer o impeachment, mas o Fernando (Bezerra) é um cara bom.
SÉRGIO MACHADO: Porque também entende disso que a gente está falando.
RENAN: É.
SÉRGIO MACHADO: Porque tem que tomar cuidado porque esse *** desse Noblat [se referindo ao colunista Ricardo Noblat, do jornal “O Globo”] botou que essa coisa de tirar a Dilma é maneira de salvar os corruptos.
RENAN: Tirar a Dilma? Manter a Dilma?
SÉRGIO MACHADO: Tirar a Dilma. Que é um processo de salvação, de salvação.
RENAN: Que é a lógica que ela fez o tempo todo.
SÉRGIO MACHADO: É porque esse processo. Porque Renan vou dizer o seguinte: dos políticos do Congresso se “sobrar” cinco que não fez é muito. Governador nenhum. Não tem como, Renan.
RENAN: Não tem como sobreviver.
SÉRGIO MACHADO: Não tinha como sobreviver.
RENAN: Tem não.
SÉRGIO MACHADO: Não tem como sobreviver. Porque não é só, é a eleição e a manutenção toda do processo.
RENAN: É.

SÉRGIO MACHADO: O que eu quero conversar contigo… Ele não tem nada de você, nem de mim… O Janot é um **** da maior, da maior.
RENAN: eu sei. Janot e aquele cara da… Força tarefa…
SÉRGIO MACHADO: Mas o Janot tem certeza que eu sou o caixa de vocês. Então o que ele quer fazer. Não encontrou nada e nem vai encontrar nada. Então quer me desvincular de você. (…) Ele acha que no Moro, o Moro vai me prender, e ai quebra a resistência e aí… Então a gente precisa ver, andei conversando com o presidente Sarney, como a gente encontra uma… Porque se me jogar lá embaixo eu estou ***.
RENAN – Isso não pode acontecer.
SÉRGIO MACHADO: Porque realmente se me jogarem para baixo, ai… Teori, ninguém consegue conversar.

Com Sarney sobre Teori

Veja também:  Em reunião com Dallagnol e mais sete procuradores, Raquel Dodge garante apoio à Lava Jato

SARNEY: Você se dá com o Cesar. Cesar Rocha.
SÉRGIO MACHADO: Hum.
SARNEY: Cesar Rocha.
SÉRGIO MACHADO: Dou, mas o Cesar não tem acesso ao Teori, não. Tem?
SARNEY: Tem total acesso ao Teori. Muito, muito, muito, muito acesso, muito acesso. Eu preciso falar com Cesar. A única coisa com o Cesar, com o Teori é com o Cesar.
SARNEY: O Renan me fez uma lembrança que pode substituir o Cesar. O Ferrão é muito amigo do Teori.
RENAN: tem que ser uma coisa confidencial.
SÉRGIO MACHADO: Só entre nós e o Ferrão.
SARNEY: Isso tem me preocupado muito porque eu sou o único que não tive num negócio desse, sou o único que não tive envolvido em nada. Vou me envolver num negócio desse.
SÉRGIO MACHADO: Claro que não, o que acontece é que a gente tem que encontrar, me ajudar a encontrar a solução.
SARNEY: Sem dúvida.
SÉRGIO MACHADO: No que depender de mim, nem se preocupe. Agora, eu preciso, se esse *** me botar preso 1 ano, 2 anos, onde é que vai parar?
SARNEY: Isso não vai acontecer. Nós não vamos deixar isso.

 

Veja também:  Censura a Miriam Leitão é ação da Ku Klux Klan ideológica tupiniquim

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum