Blog do Rovai

27 de fevereiro de 2015, 11h32

A tentativa de sequestro do presidente da Petrobras…

Os grupos de mídia parecem estar cutucando Bendine para intimidá-lo. Por enquanto são socos de baixa intensidade no fígado, apenas para ir minando a resistênci

val marchiori

O jornal Estado de S. Paulo de ontem publicou uma matéria com destaque moderado sobre pagamentos em espécie que teriam sido realizados pelo atual presidente da Petrobras e ex-presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, o Dida. Segundo a denúncia de um pedreiro, João Carlos Camargo, e de dois comerciantes não identificados na reportagem, Bendine tinha por praxe pagar as compras e os serviços para construção de uma luxuosa casa em dinheiro vivo na cidade de Conchas, interior de São Paulo. E não exigia notas fiscais. Bendine nega as denúncias.

No ano passado a Folha de S. Paulo deu matéria com tom semelhante. O ex-motorista do então presidente do BB, Sebastião Ferreira da Silva, disse que teria feito vários pagamentos em espécie a mando do ex-chefe.

O curioso dessas duas reportagens não são as revelações que, se comprovadas e verdadeiras, claramente colocam em suspeita o comportamento financeiro do novo presidente da Petrobras, mas a forma como o jornalismo tradicional tão ávido por denúncias lidou com elas.

Veja também:  Censura a Miriam Leitão é ação da Ku Klux Klan ideológica tupiniquim

A matéria não se tornou capa do Estadão e não reverberou em outros órgãos de imprensa. Pareceu mais um recado. Do tipo dos grupos mafiosos que quando manda matar alguém é o primeiro a enviar a coroa de flores.

Os grupos de mídia parecem estar cutucando Bendine para intimidá-lo. Por enquanto são socos de baixa intensidade no fígado, apenas para ir minando a resistência, mas a depender dos rumos que as coisas tomarem, já há indicativos de que os golpes podem ficar mais fortes.

Ou não.

É aí que entra o sequestro.

Quando o ameaçado se rende, a mídia esquece as denúncias. E tira o sujeito do alvo.

Há casos e casos de integrantes de diferentes governos que, ameaçados com dossiês, desistiram de realizar projetos e programas. Preferiram a dolce vita do que o preço do enfrentamento.

Bendine, que não é bobo nem nada, deve estar com a orelha em pé tanto por conta das denúncias que envolvem desde o financiamento da socialite Val Marchiore, quanto essa última do pedreiro João.

Veja também:  “Nada corrompe mais o Brasil do que a desigualdade, a concentração de renda”, avalia Dino ao Intercept

E se ele piscar, a Petrobras corre sério risco.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum