Blog do Valdemar

política e teologia

#Fórumcast, o podcast da Fórum
02 de maio de 2018, 21h55

A visão “estadista” do Bispo Macedo

“A visão estadista de Deus” é o título do primeiro capítulo do livro "Plano de Poder", de Edir Macedo. Em seu livro, Macedo faz de Deus gato e sapato. Talvez acredite que Deus é um babaca ambicioso que oscila entre mania de grandeza e mania de perseguição

Foto: Divulgação

“A visão estadista de Deus” é o título do primeiro capítulo do livro Plano de Poder: Deus, os cristãos e a política. Logo é possível concluir que o Bispo Macedo é Deus.1

Não estou fazendo jogo de palavras. A descrição da visão estadista de Deus é apresentada enquanto Macedo descreve a sua visão. O que ele chama de FÉ RACIONAL.

A Bíblia é usada sem cerimônia para afirmar que a arte de governar é devida ao povo adormecido de Deus. A Igreja acomodada deve se levantar para exercer o poder e domínio em nome de Deus.

O projeto estadista de Deus foi frustrado. Disse ele a Adão: tenha domínio sobre toda a terra… Também recomendou a Noé: multiplicai-vos e enchei a terra. Deu errado em ambos os casos.

A ênfase não recai sobre o que deu errado, mas no detalhe de Deus possuir um plano estadista. O exemplo positivo do capítulo recai sobre a administração pública de José no Egito.

Daí Macedo conclui, desde que haja alguém capaz de entender o plano estadista de Deus e que tenha coragem para executá-lo, o bordão usado para motivar Gideão “Vai nessa tua força” poderá ser atualizado para “Emancipem-se!”.

O convite inequívoco é para a mobilização geral daqueles que querem ver em curso o tal Plano Estadista de Deus no Brasil contemporâneo.

Diante de tal descalabro precisamos tentar algumas hipóteses interpretativas.

1º) Talvez o Bispo Macedo não se considere esperto, mas certamente acha que os seus seguidores são idiotas.

2º) As páginas da Bíblia do Macedo têm a mesma utilidade que o papel higiênico.

3º) No livro Macedo cinicamente defende a participação da população civil nos negócios públicos, nos processos decisórios, orçamentos participativos, enquanto que na administração eclesiástica impera o governo teocrático piramidal (p. 24).

4º) Segundo Macedo, a política é um jogo de poder que precisa ser jogado com habilidades. Nos cultos, a magia com exorcismo e pirotecnias; na política, o pragmatismo da assessoria profissional (p. 29).

5º) O Bispo mistura os governos dos faraós do Egito, numa leitura bíblica para lá de sacaneada, com o contratualismo de Thomas Hobbes. O método confuso simplesmente visa legitimar a liderança da organização do “movimento social” que potencialmente são os evangélicos (p. 33).

6º) A chave hermenêutica do Macedo é o marketing. Através do uso dessa ferramenta ele lida com as três formas de poder: econômico, ideológico e político (p. 47).

7º) O nascimento de Moisés teria representado uma nova tentativa de Deus para realizar o seu projeto de nação. Os hebreus escravos no Egito não sabiam da força que tinham. A multidão evangélica no Brasil precisa reconhecer o seu poder através da “vara” salvadora de um líder especial (p. 43).

8º) Deixar para trás as disputas entre denominações, as disputas ideológicas e doutrinárias quando a política for uma causa comum. Segundo Macedo, os evangélicos estão para o Brasil assim como os hebreus estavam para o Egito no tempo de Moisés. Ou seja, numeroso e poderoso, porém, adormecido e servil (p. 52).

9º) E conhecereis o marketing, e ele o libertará.

10º) Macedo não se compara a Moisés. No seu Plano de Poder, Macedo faz de Deus gato e sapato. Talvez acredite que Deus é um babaca ambicioso que oscila entre mania de grandeza e mania de perseguição.

Enquanto isso, a maioria da comunidade evangélica segue o culto sem interrupção. Finge que não vê ou finge que não tem nada a ver com isso. Em relação ao Macedo, boa parte dos evangélicos deixaram o sentimento de repulsa para assumir o sentimento de inveja.

1 MACEDO, Bispo. Plano de poder: Deus, os cristãos e a política. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2008.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum