Blogs

18 de junho de 2018, 09h36

Alexandre Garcia compara IDH da Suíça com o do Brasil e apanha nas redes

Jornalista foi lembrado que na Suíça não há nem hegemonia da mídia nem jornalista que participou de regime militar

O jornalista e apresentador da Rede Globo, Alexandre Garcia, postou em sua conta no Twitter, neste domingo (17), logo após o jogo da seleção brasileira, uma comparação do IDH da Suíça com o do Brasil. Não demorou muito para que ele fosse lembrado da sua participação no regime militar. Além disso, internauta comentou também sobre a hegemonia da mídia, que não existe por lá.

Alexandre Garcia postou:

A Suíça nos ganha de goleada em segurança, saúde, educação, impostos, liberdades, renda per capita, representação popular. Em compensação, conseguimos empatar com ela em futebol.

E ouviu de volta:

E com certeza ganha do Brasil na qualidade jornalística, especialmente em relação ao nível dos profissionais, sem contar que na Suíça deve haver pluralidade na mídia, inexistindo jornalista que tenha trabalhado em regime ditatorial e que hoje se diz em defesa da liberdade.

Veja também:  Primeiro-ministro do Canadá convoca: “Precisamos agir pela Amazônia, pelo nosso planeta”

Porta-voz da ditadura

Alexandra Garcia foi porta-voz do último governo militar, do ditador João Batista Figueiredo. Foi exonerado devido à repercussão da entrevista “O Porta-Voz da Abertura”, concedida à revista masculina “Ele & Ela”, na qual o jornalista se apresentava deitado em uma cama, de cueca, recoberto por uma felpuda toalha e revelava que era ali que ele “abatia suas lebres“.

Na Rede Globo desde o início da década de 80, é um dos comentaristas políticos mais prestigiados da emissora, com perfil conservador afinado com os seus chefes.

 

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum