Quando o Ocidente chora por colaboradores

Não que que se deva louvar a pena de morte, mas as criticas às execuções de colaboradores de Israel em Gaza pelo Hamas, não passam de pura e simples hipocrisia na tentativa de divergir do real problema.  Por vários motivos: 1) Colaboração com o inimigo é traição, e traição é um crime capital segundo a […]

Não que que se deva louvar a pena de morte, mas as criticas às execuções de colaboradores de Israel em Gaza pelo Hamas, não passam de pura e simples hipocrisia na tentativa de divergir do real problema. 

Por vários motivos:

1) Colaboração com o inimigo é traição, e traição é um crime capital segundo a lei palestina. E isso não é uma exclusividade da Palestina, o mesmo se aplica à lei brasileira, por exemplo;
2) Houve um julgamento, sob determinadas condições, antes dessas execuções;
3) Alguns dos executados eram membros do próprio Hamas;
4) O maior alarido por conta dessas execuções vem, invariavelmente, de pessoas que não ligam para os mais de 2,000 palestinos assassinados – ilegalmente – por Israel desde 8 de Julho.
5) Não existe na história dos conflitos armados, um só único movimento de resistência que tenha sido bondoso com colaboradores, mesmo porque é uma luta pela sobrevivência.
Como exemplo, peguemos o tratamento da resistência francesa para com colaboradores durante a 2ª Guerra Mundial.
Avatar de Arabizando

Arabizando

Arabizando é uma plataforma em língua portuguesa fundada em 2013 por Thomas Farran, especialista em História e Política Árabe Moderna, com o objetivo de reunir profissionais e instituições de todo o mundo para a divulgação da cultura árabe em geral, abrir espaço para a discussão política da região sob um olhar mais crítico e alternativo e se apresentar como um espaço para dar voz à causa palestina

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR