segunda-feira, 28 set 2020
Publicidade

Ataque hacker anunciado por Guedes vira piada na web

Dois dias depois da líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann, anunciar que teve seu celular clonado num “ataque hacker” semelhante ao que o ministro Sergio Moro diz ter sofrido, nesta terça-feira (23) foi a vez do ministro da Economia, Paulo Guedes, relatar mais uma invasão.  Segundo ministro do governo a alegar um suposto atentado à privacidade, parlamentares e internautas não pouparam desconfiança às alegações.

Vice-líder do PCdoB, o deputado federal Márcio Jerry (MA) deixou clara a desconfiança. “Crônica da farsa anunciada. Parece ser o motivo de tantos telefones de autoridades bolsonaristas sendo “hackeados”. Aí tem…”, afirmou.

Ironizando a coincidência, a Líder da Minoria na Câmara dos Deputados, Jandira Feghalli (PCdoB-RJ) também postou comentário em seus Twitter. “3 figuras ligadas ao governo alegam que seus celulares foram hackeados. Moro, Joice e agora Guedes. Já dá para pedir música no fantástico?”.

No Twitter, também não faltaram comentários sobre a tentativa de confundir a população. “É a “festa” dos celulares hackeados entre ministros e pessoas da base de apoio de Bolsonaro. Será?? Desde que a Vaza Jato caiu no colo de Moro, o ex-juiz vem trabalhando para criar a ideia de crime em andamento. Por que?”, comentou um perfil. “fui atacado por hackers” é o novo “meu cachorro comeu a lição”!”, disparou outra.

Antes de Guedes, o ministro da Justiça, Sergio Moro, relatou que o celular foi invadido logo após mensagens reveladas pelo ‘The Intercept Brasil’ deixarem dúvidas sobre parcialidade de atuação de Moro, enquanto ainda juiz da Lava-Jato. No domingo (21), o site fez sua 11ª denúncia desde que começou a divulgação dos chats que apontam o envolvimento de Moro e a cúpula do Judiciário no caso. Neste último, Deltan Dallagnol sugeriu que Sergio Moro protegeria Flávio Bolsonaro para não desagradar ao presidente e não perder sua indicação ao STF.

George Marques
George Marques
Jornalista e Relações Públicas pela Faculdade JK de Brasília. É também especialista em comunicação pública e comunicação política no legislativo, tendo já sido indicado ao Prêmio Comunique-se de Jornalismo Político. Já trabalhou na cobertura de política para o site The Intercept Brasil e Metrópoles. É colunista da Fórum.