sábado, 19 set 2020
Publicidade

Deputado apresenta projeto para criminalizar apologia à ditadura militar

Na semana em que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) manteve sua cabeça em 1964 esquecendo-se do Brasil de 2019, e o debate em torno da #DitaduraNuncaMais ganhou espaço nas redes sociais, o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA) apresentou projeto de lei (PL 1798/2019) para criminalizar a apologia ao retorno da ditadura militar, tortura ou a pregação de rupturas institucionais.

“Ficamos apreensivos quando vemos o presidente da República e o autoridades de seu governo virem à público autorizar e defender que se comemore o golpe civil-militar de 1964”, criticou o parlamentar.

Leia também
Carta assinada por Buarque, Wyllys e Nobel da Paz pede que STF proíba comemorações do golpe

Segundo Jerry o regime que se instaurou em 64 praticou crimes comparáveis ao fascismo e ao nazismo, cuja apologia é proibida em incontáveis países – entre os quais o Brasil e a própria Alemanha.

“A democracia e o Estado de Direito não combinam com a apologia a crimes pretéritos enquanto pregam crimes futuros”, apregoa o congressista. O projeto de lei sentencia que a apologia à ditadura pode acarreta em detenção, de três a seis meses, ou multa.

O projeto foi apresentado à Câmara e aguarda despacho dos técnicos da Casa para começar a tramitar nas comissões.

George Marques
George Marques
Jornalista e Relações Públicas pela Faculdade JK de Brasília. É também especialista em comunicação pública e comunicação política no legislativo, tendo já sido indicado ao Prêmio Comunique-se de Jornalismo Político. Já trabalhou na cobertura de política para o site The Intercept Brasil e Metrópoles. É colunista da Fórum.