Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

27 de março de 2019, 14h00

Eduardo Bolsonaro defende Ernesto e toma invertida: “É melhor que o ministro nomeado responda, e não o de fato”

Deputado Glauber Braga (PSol/RJ) indagou chanceler sobre visita à CIA durante viagem aos Estados Unidos, mas Eduardo Bolsonaro quis responder, dizendo que teve influência na visita aos arapongas estadunidenses

Ernesto Araújo e Eduardo Bolsonaro (Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados)

Diplomata informal do governo Jair Bolsonaro (PSL), o presidente da Comissão de Relações Exteriores da Câmara, Eduardo Bolsonaro (PSL/SP) tomou uma invertida do deputado Glauber Braga (PSol/RJ) ao tentar interferir no depoimento de Ernesto Araújo, ministro das Relações Exteriores, sobre a visita à Central de Inteligência Americana (CIA) durante viagem da comitiva aos Estados Unidos.

Durante a sessão da comissão, que recebeu o ministro nesta quarta-feira (27), Glauber indagou sobre os motivos da visita de Bolsonaro à agência de espionagem estadunidense.

Leia também: “Não considero 64 um golpe, mas um movimento para que o país não se tornasse uma ditadura”, diz Ernesto Araújo

Antes mesmo que Ernesto respondesse, Eduardo Bolsonaro, que conduz a reunião, interferiu para dizer que teve influência na reunião. “Trata-se de uma visita a uma agência de informação, como se um presidente de outro país tivesse visitado a Abin. Logo, não vi grande problema, mas o ministro responderá quando tiver a oportunidade”, disse Eduardo.

“É melhor que o ministro nomeado responda, e não o de fato”, rebateu Glauber.

O chanceler, então, tomou a palavra e, sem entrar em detalhes, negou que a visita estivesse relacionada à política de exploração de petróleo. “”Fui à CIA, uma visita a uma inteligência como essa seria interessante. O presidente teve esse convite e tive a oportunidade de acompanha-lo, mas não se discutiu política de petróleo”, disse Ernesto.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum