Blog do George Marques

direto do Congresso Nacional

12 de março de 2019, 06h00

Padilha apresenta projeto para frear liberação de mais de 60 agrotóxicos no país

Em 2005 surgiram 90 produtos no mercado, tendo em vista que o número subiu para 150 em 2015 e deu um salto para 450 em 2018, no governo Michel Temer

Foto: Agência Brasil

O deputado e ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT-SP) apresentou um Projeto de Decreto Legislativo (PDC 43/2019) para impedir a liberação de cerca de 60 novos agrotóxicos que chegaram ao mercado desde o início do governo Bolsonaro.

O congressista argumenta que alguns produtos têm o uso proibido nos Estados Unidos e na União Europeia e que há riscos de sanções comerciais à agricultura brasileira.

Além disso, Padilha, que é médico alerta sobre danos à população. O deputado denuncia o que chama de “aumento abusivo no registro de novos agrotóxicos” no Brasil. Em 2005, por exemplo, surgiram apenas cerca de 90 produtos no mercado. O número subiu para 150 em 2015 e deu um salto para 450 em 2018, no governo Michel Temer.

Vale lembrar que a atual ministra da Agricultura, Tereza Cristina, anteriormente no comando da Frente Parlamentar da Agropecuária, liderou no Congresso a aprovação do “Pacote do Veneno” (PL 6299/2002) na Comissão Especial criada para sua apreciação.

Padilha considera abusiva a postura do Ministério e sugere que seja apurada. “Essa medida abre caminho para que novas combinações químicas sejam permitidas, o que agravará ainda mais o atual cenário de negligenciamento da promoção da saúde e da proteção à vida em prol de interesses voltados ao agronegócio”, afirmou ao blog o congressista.

Veja também:  7º Congresso do PT é sobre o futuro da esquerda (e da luta contra o bolsonarismo)

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum