segunda-feira, 21 set 2020
Publicidade

Para Marcelo Freixo, espionagem do governo a católicos fere a liberdade religiosa

Após a criação de uma Frente Parlamentar Mista em Defesa da Democracia na Câmara dos Deputados, na tarde desta terça-feira (12), o deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) classificou como “grave” a notícia de que o governo Bolsonaro tem, por intermédio da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), espionado integrantes eclesiásticos da Igreja Católica do Brasil.

“É um governo que tem como referência um torturador. Não sejamos bobos, não nos surpreende a espionagem”, destacou o congressista ao blog.

Para Freixo, o documento emitido pela Presidência da República é uma forma de confissão da existência da espionagem. “O que para nós mostra o total descompromisso do governo Bolsonaro com a democracia, com a liberdade dos movimentos, com a liberdade religiosa e com doutrinação fanática que é a marca desse governo”, ressaltou.

“Não só a Igreja Católica, podia ser qualquer igreja, ou qualquer segmento da sociedade, não tem que ser espionado por ter uma manifestação política que não é condizente com a linha desse governo”, concluiu o parlamentar.

George Marques
George Marques
Jornalista e Relações Públicas pela Faculdade JK de Brasília. É também especialista em comunicação pública e comunicação política no legislativo, tendo já sido indicado ao Prêmio Comunique-se de Jornalismo Político. Já trabalhou na cobertura de política para o site The Intercept Brasil e Metrópoles. É colunista da Fórum.