Blog do Mouzar

Fórumcast, o podcast da Fórum
09 de janeiro de 2013, 20h45

A Copa do Mundo é deles! (Com a Fifa há quem possa?)

Amijubi? Dizem que é uma união de parte das palavras amizade e júbilo. Mas você poria esse nome num filho?

E Zuzeco, mistura de azul com ecologia?

E Fuleco, mistura de futebol com ecologia? A palavra lembra mais o adjetivo “fuleiro”.

Que a Fifa e a CBF tenham escolhido o tatu-bola como mascote da Copa de 2014, vá lá. Ele é um bicho inofensivo, não faz mal a ninguém, as pessoas é que fazem mal a ele. Tanto que o coitado está em perigo de extinção.

A sua escolha tem sentido, é um animal que vira bola, portanto tem algo a ver com o futebol, embora mais uma vez como vítima dos homens: bola, no futebol, é para ser chutada.

A Sociedade dos Observadores de Saci (Sosaci) tinha proposto que nosso ídolo, o Saci, fosse o escolhido. Seria legal para estimular o maior conhecimento da nossa cultura popular, da riquíssima mitologia indígena, no caso a tupi-guarani. Mas há algum tempo eu mesmo já vinha pensando que se a Copa for mal organizada e causar vergonha, ou se a seleção brasileira for uma porcaria e não chegar nem às quartas-de-final, tendo o Saci como mascote, uns bobões iriam dizer: “Também, com um mascote como o Saci”.

Iam culpar nosso perneta. E uns mais bobões ainda iriam, com a história de serem “politicamente corretos” (no resto podem ser incorretos em tudo), ficar remoendo que o Saci fuma. Para eles, tudo bem que Baco, romano, fosse homenageado com bacanais; Dionísio, grego, fosse homenageado com festas dionisíacas; que Zeus, o principal mito grego, forçasse a barra para se tornar amante de muitas mulheres e matasse ou mandasse matar os maridos delas. O grande mal é o Saci, porque ele fuma!

Bom, o Saci se livrou dessa. Se formos mal ou promovermos uma Copa bagunçada, a culpa já não será do nosso ícone, nosso mito mais popular.

A escolha que a Fifa e a CBF fizeram até que foi boa. Tem algo a ver com o meio ambiente, uma causa que é de quase todo mundo. O que acho ruim é a forma que fazem as coisas, e a finalidade maior dessas instituições por acaso futebolísticas: ganhar dinheiro, faturar, faturar, faturar…

Decidem tudo às escuras e tomam todas as providências para que ninguém ouse não dar lucro elas. Usou, tem que pagar. O Saci já tem desenhos aos montes por aí, e muitas outras pessoas desenhariam seu próprio Saci. Seria difícil controlar, não?

Mas o tatu-bola só foi anunciado depois de devidamente registrado na caixa registradora, epa!, nos cartórios, como propriedade delas. Não vou ser “do contra”, minha torcida é para que a Copa seja um sucesso, e a seleção seja campeã, jogando bonito.

Voltando à Fifa e à CBF, para dar um toque “democrático”, fazem um concurso para escolher o nome do personagem. E, coitado, que alternativas! Amijubi, Zuzeco ou Fuleco? Olha, dona Fifa… Não, não vou falar.

Antes já nomearam a bola de futebol oficial com o nome de Brazuca, com Z mesmo. Mais uma submissão dos “brasucas” aos gringos. O sufixo “uca” é pejorativo, e nem puseram brasuca com “s”, é com “z”. Será que viramos colônia da Fifa?

Agora, vamos escolher “democraticamente” o nome oficial do tatu-bola da Fifa. Amijubi, Zuzeco ou Fuleco! Que horror!

Lembrei-me agora dum caso que contei num livro, sobre um tatu. Não era tatu-bola, mas vá lá. Na verdade, é sobre um conhecido meu. E repito o causo aqui. Que tal Celsão, para o nome do tatu mascote? Leiam abaixo e pensem se não é merecido.
Celsão é separado da mulher e se mantém irredutível na atual solteirice.

– Mulher é que não me falta – diz ele.

Mas às vezes falta! E naquelas noites de frio, em que um cobertor de orelhas é melhor do que qualquer outro, pode-se ocasionalmente ver o Celsão descer sorrateiramente o Beco da Cadeia, olhar para os lados assegurando-se de que ninguém está vendo (a gente fica de tocaia), bater levemente na janela da ex-mulher, a janela se abrir e ele pular sorrateiramente para dentro.

Uma manhã, flagrado quando saía da casa de sua ex-mulher, explicou:

– Tatu que é esperto não esquece buraco antigo. F

Esta crônica é parte integrante da Fórum 115.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum