Blog do Mouzar

#Fórumcast, o podcast da Fórum
04 de novembro de 2019, 23h34

Desditados (ditados reeditados)

No Blog do Mouzar, ele analisa o momento atua: “Mesmo nos horrorizando e criticando o que dizem, acabamos fazendo o que eles querem: perdendo o humor e não propondo coisas que mudem o Brasil para melhor, enquanto eles ferram o país e o povo”

Foto: Reprodução/Instagram

Publiquei aqui, recentemente, uns “pós-conceitos” válidos para os tempos atuais, depois uns “desaforismos”, em seguida uns “kai-kais” e depois umas “preguntas”.

Nestes tempos em que a imbecilidade e a truculência são normas de conduta de “pessoas de bem”, se a gente bobear, fica sendo pautado direto pelos expoentes do momento, que produzem assuntos horríveis todos os dias e muita gente fica repercutindo. Mesmo nos horrorizando e criticando o que dizem, acabamos fazendo o que eles querem: perdendo o humor e não propondo coisas que mudem o Brasil para melhor, enquanto eles ferram o país e o povo.

Então, publico uns desditados, que não passam de ditados revistos, reeditados. Muitos não são de agora: foram publicados há tempos neste mesmo blog e em outros lugares. Mas para não dizer que não falei deles, começo lembrando que “devagar se vai ao longe”, mas com uma adaptação para o momento atual: “Devagar, fui longe. Mas voltei correndo: o lugar a que fui era cheio de bolsonaristas”.

Os demais são mera diversão. Aí vão:

Semeei ventos, mas a safra foi ruim, só colhi brisas.

  • • •

Veio um cão latindo, pensei: esse não morde. Mas parou de latir…

  • • •

Filho de peixe é peixinho, e eu uso como isca de peixe grande.

  • • •

Mão fria, coração quente. Mas com a defunta isso não funcionou.

  • • •

Chuva não quebra osso, mas escorreguei no barro, caí e quebrei o braço.

  • • •

Ele disse que estava com a pulga atrás da orelha. Recomendei inseticida…

  • • •

Quem não deve não teme. Mas geralmente é quem paga.

  • • •

De pensar morreu um burro. De não pensar morrem muitos.

  • • •

Tudo o que cai na rede, é peixe. Mas tinha um mergulhador…

  • • •

Vergonha é roubar e não poder carregar. Mas levando parte do roubo já é lucro.

  • • •

Quem nunca comeu melado, quando come se lambuza. Por isso usei babador.

  • • •

O que é do homem o bicho não come. Diga isso aos ratos…

  • • •

Pra burro velho, o negócio é capim novo. O difícil é convencer o “capim novo”…

  • • •

No frigir dos ovos é que a manteiga chia. Mas eu frito com óleo.

  • • •

Duas espadas não cabem na mesma bainha. Mas tem “bainhas” em que entram muitas “espadas”: sai uma, entra outra.

  • • •

Em pé de pobre é que o sapato aperta. Por isso eu uso sandália.

  • • •

Mulher de bigode, nem o diabo pode. Mesmo fazendo depilação?

  • • •

Deus me deu um lugar ao sol. Mas eu queria mesmo era um lugar à sombra.

  • • •

Peixe e visita, depois de três dias fedem. Pra peixe ainda tem a opção do congelador…

  • • •

Quem tem telhado de vidro não atira pedra no vizinho. Mas o sujeito que mora num prédio alto e seu vizinho em uma casa térrea, não acredita nisso…

  • • •

O fulano chegou aqui com uma mão na frente e a outra atrás. Eu cheguei com uma mão no lado direito e outra no lado esquerdo.

  • • •

O que vem de baixo não me atinge? Pois não arrisco a sentar num formigueiro.

  • • •

Se a vida lhe der um limão… faça dele uma caipirinha.

  • • •

Uma mão sujou a outra.

  • • •

Águas passadas… movem moinhos rio abaixo.

  • • •

Quem poupa… Tinha: veio um ladrão e roubou tudo.

  • . •

Em boca fechada… não entra comida.

  • • •

A mentira tem pernas curtas… mas não precisa delas: ela voa.

  • • •

Se queres bem casar, teu igual vai procurar. Quer dizer que casamento bom é de homem com homem e de mulher com mulher?

  • • •

Beleza não põe mesa. Feiura também não.

  • • •

Quem é vivo sempre desaparece (este alguém publicou no Pasquim, numa época em que as ditaduras do Cone Sul – como a do Brasil e da Argentina – “desapareciam” opositores)

  • • •

Quem é vivo sempre aparece. Mas os mais vivos são especialistas em desaparecer, em certas circunstâncias.

  • • •

Atrás de um grande homem, e de um pequeno também, sempre tem uma bunda.

  • • •

Amor só de mãe… já dizia Édipo.

  • • •

Amor com amor se paga… Falei isso, mas a prostituta exigiu ser paga com grana mesmo.

  • • •

O amor é cego, a Justiça é cega… talvez seja por isso que levam tanta desvantagem aqui.

  • • •

Quem dá aos pobres, empresta a Deus, disse a mulher levando o mendigo para a cama.

  • • •

Desgraça pouca é bobagem. Não basta um presidente… tem sua prole!

  • • •

Este foi adaptado por Luís Fernando Veríssimo: “Viva cada dia como se fosse o último. Um dia você acerta”.

  • • •

A mocidade é defeito que se corrige dia a dia. Já a velhice não tem como se corrigir.

  • • •

Quem mais conhece a palma da minha mão é meu pinto.

  • • •

Dinheiro não tem cheiro. Mas o jeito que muita gente ganha, fede. E muito.

  • • •

Quem fala a verdade não merece castigo… Mas perde empregos em alguns jornais, revistas e emissoras de rádio e TV.

  • • •

O dever me chama. Os direitos fogem de mim…

  • • •

Plantando dá… calo na mão.

  • • •

Um ditado melhorado por Paulo Leminski: “Salve-se quem quiser. Perca-se quem puder!”.

  • • •

Este é de Jorge Luis Borges: “Todos os caminhos levam à morte. Perca-se”.

  • • •

Este é do meu amigo Mário Pires, dito enquanto tomava uma cachaça: “Mens sana, in corpore cana”.

  • • •

Um ditado que virou praticamente um lema é “Não desista nunca do seu sonho”. Este, o Barão de Itararé (ou Luiz Fernando Veríssimo, segundo alguns) se encarregou de fazer um complemento. Ficou assim: “Não desista nunca do seu sonho. Se acabou numa padaria, procure em outra”.

(Todos esses “desditados” fazem parte do livro não publicado “Pós-conceitos, desaforismos, kai-kais, preguntas e desditados”)

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum