Blog do Mouzar

#Fórumcast, o podcast da Fórum
22 de agosto de 2019, 22h54

Livros, música e democracia na praça

O Blog do Mouzar recomenda o evento O Autor na Praça, em São Paulo, que celebra 20 anos com mais uma edição de “Tertúlia das Quebradas do Mundaréu – Um encontro Lítero-Musical-Democrático”

Foto: Reprodução

Livros desagradam as “otoridades” nestes tempos coprófilos. Música boa também. E democracia mais ainda. Nós, teimosos, insistimos em continuar gostando dessas coisas, e vamos celebrá-las num evento na praça Benedito Calixto, neste sábado (24), a partir das 15 horas, na barraca d’O Autor na Praça, aventura quixotesca que, com muito orgulho, completa 20 anos. Convido, então, quem gosta de livros, música e democracia para que compareçam…

Aí vai um recado dirigido a quem aprecia literatura, boa música e democracia. Apareçam!

O Facebook silenciou a Fórum. Censura? Clique aqui e nos ajude a lutar contra isso

O Autor na Praça celebra 20 anos com mais uma edição de Tertúlia das Quebradas do Mundaréu – Um encontro Lítero-Musical-Democrático

O Autor na Praça teve seu início em 1999, o primeiro convidado foi o dramaturgo e escritor Plínio Marcos autografando uma nova edição do livro Querô – Uma reportagem Maldita. Plínio é o padrinho do projeto, e dá o nome a tenda onde acontece a Feira de Artes da Praça Benedito CalixtoEspaço Plínio Marcos. Para continuar a celebração de 20 anos, no dia 24 de agosto, às 15h, vamos realizar um evento especial: “Tertúlia das Quebradas do Mundaréu – 2ª edição”. Será um encontro Lítero-Musical-democrático reunindo escritores, poetas e músicos convidados pelo jornalista e escritor Mouzar Benedito, idealizador e um dos fundadores do projeto. Já estão confirmadas as presenças de: Denise Santana Fon, autora do livro “Contos para falar de Morte e Vida”(Esgotado); Eugen Weiss, autor do livro “Tristorosa” (finalista do Prêmio Jabuti em 2017); Jean Garfunkel, músico, compositor e autor do livro “Poemania Crônica”; Mário Sérgio de Melo, autor do livro “Canjica de Castanha”; Mouzar Benedito, autor do livro “Palavra de Caipira” (coautoria com Ditão Virgílio e ilustrações de Ohi); Murilo Silvestrim, músico, compositor e autor do livro “Viagem ao início das coisas”; Ohi, coautor do livro “Palavra de Caipira”; Paulo Sampaio, autor do livro “A Desconstrução de um Sonho” e Sandra Regina, autora do livro “Visita Íntima”. Venha celebrar com a gente a participar desse encontro. Mais informações sobre os autores, os livros e capas abaixo.

Serviço:

O Autor na Praça celebra 20 anos com uma nova Tertúlia das Quebradas do Mundaréu

Sábado, dia 24 de agosto a partir das 15h – Grátis. Espaço Plínio Marcos – Tenda na Feira de Artes da Praça Benedito Calixto. Realização: Edson Lima, O Autor na Praça, AAPBC e GEMAC – Grupo de Extensão Multidisciplinar de Auxílio a Comunidades (Ulisses Freitas Produtor). Apoio: O Cantinho Português e Max Design.

Sobre Denise Santana Fon – Jornalista, escritora e poeta, autora do livro “Contos de Morte e de Vida”, que aborda, de forma poética, temas ligados aos crimes cometidos pela ditadura civil-militar (1964-1985) no Brasil. “É muito importante abordar de forma literária o tema, para falar da realidade e transmitir com ternura para as pessoas. É necessário criar figuras de linguagem para fugir da realidade”, afirmou Denise, em entrevista à Rádio Brasil Atual (www.redebrasilatual.com.br). Infelizmente o livro encontra-se esgotado e no aguardo de uma nova edição. Saiba mais sobre a história e a vida de Denise Santana Fon: Security Check Required.

Sobre Eugen Weiss e o livro “Tristorosa” – Lançado pela editora @link sob indicação do escritor e crítico literário Luiz Bras, o romance tem como mote o conflito de um pianista dividido entre a tradição herdada de sua família de concertistas e o desejo juvenil de ser afinador de instrumentos. Foi finalista do Prêmio Jabuti de Literatura em 2017. Eugen Weiss nasceu em Roma, na Itália, logo depois da segunda guerra. Refugiado e imigrante chegou ao Brasil com seus pais. Participou de diversas antologias de contos, “Tristorosa” é o seu primeiro romance.

Sobre Jean Garfunkel e o livro “Poemania Crônica” – Meu vício crepuscular. Juntar histórias insólitas. E rimá-las pra contar – É o livro do compositor, poeta, músico e intérprete Garfunkel. Com 40 anos de estrada, quatro CDs lançados, músicas gravadas por grandes vozes da MPB, como Elis Regina, Zizi Possi, Maria Rita, Renato Braz e Pena Branca e Xavantinho, o autor lança pela editora Patuá seu segundo livro de poemas e crônicas rimadas. Gênero híbrido que ele batizou de “poesia proseíficada”. Um contraponto à prosa poética. O livro é dividido em três capítulos temáticos: “ENSIMESMICES”, “REMEMBERÂNCIAS “ e “CONFABULAGENS” que se referem – respectivamente às Reflexões, Memórias e Histórias recolhidas ou inventadas pelo autor. “Poemania Crônica”, um tributo à oralidade, tem o prefácio da consagrada poeta paulistana Renata Pallottini. Outras referências sobre o artista poderão ser acessadas através de canais de youtube e o site: www.cantodolivro.com.br.

Sobre o escritor Mário Sérgio Melo e o livro “Canjica de Castanha” – É um livro de memórias escritas na forma de crônicas e pequenos contos. São discretos feitos e fatos que ficaram gravados na lembrança por décadas e revelam-se com surpreendentes detalhes. “Canjica de castanha” é o nome de uma das crônicas, do tempo de estudante de Geologia, quando estagiou numa pesquisa de cassiterita na Amazônia. Foi uma experiência muito marcante, por isso escolhida para dar nome ao livro, que pertence à Série Conexão da Editora e Livraria Estúdio Texto, de Ponta Grossa, PR. Sobre o autor Mário Sérgio de Melo e geólogo aposentado, foi pesquisador do IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo e professor de Geologia e Meio Ambiente na Universidade Estadual de Ponta Grossa. Foi admitido membro da Academia de Letras dos Campos Gerais em março de 2019. Publicou (autoria e coautoria) e/ou organizou nove livros nas áreas de Geociências e Meio Ambiente e outros nove de literatura (poemas e crônicas). Desde 2015 mantém o blog Perrengas Princesinas: http://perrengasprincesinas.blogspot.com.

Sobre Mouzar Benedito e o livro “Palavra de Caipira” – É uma homenagem à cultura caipira e às pessoas que mantêm viva essa cultura, considerada “menor” por alguns, mas na verdade muito rica. Contém um pequeno histórico sobre a origem do dialeto caipira e em seguida uma coletânea bem-humorada do vocabulário caipira, saído da memória dos autores, caipiras assumidos. E há os ditados. Faz parte da nossa cultura palpitar sobre certas coisas através deles. Para cada situação, há um ditado adequado, e nós listamos algumas dessas situações. E tem mais, muito mais, incluindo apelidos/sobrenomes e outras curiosidades. Os autores: Ditão Virgílio (de São Luiz do Paraitinga – SP), cordelista, contador de causos, compositor, poeta, declamador e escritor; Mouzar Benedito (de Nova Resende – MG), jornalista e geógrafo com quase cinquenta livros publicados; e Ohi (de Campo Grande – MS), jornalista e ilustrador.

Sobre o escritor e músico Murilo Silvestrim, autor do livro “Viagem ao início das coisas” – É natural de Maringá, mas criado em Curitiba. É compositor apaixonado da canção de todas as coisas, inclusive as de não se ver. Desenvolve um trabalho conjunto entre música, poesia e literatura. Busca, por meio desse trabalho, mergulhar na arte do dia a dia e abrandar suas inquietações. Dá aula para crianças, trabalha com orquestra de música latina e grupos musicais. Compõe torrencialmente. É apaixonado pelos pássaros. Viaja e tem fascínio pela estrada. Gosta de pensar e ficar em silêncio. Da luz no final da tarde, de café e boas conversas. Em 2016, lançou seu primeiro CD chamado “Prisma”. Em 2018 viajou por diversos estados realizando shows pelo projeto Dandô, e prepara o seu próximo disco, chamado “Encontrar”. Também o lançamento do seu primeiro livro intitulado “Viagem ao início das coisas”. Faz música e literatura, pois acredita em um mundo mais belo, justo, igualitário e democrático, que valorize a diferença e o respeito.

Sobre o Ohi, ilustrador do livro “Palavra de Caipira” – José Luiz Ohi é cartunista, ilustrador e agitador cultural, começou na Revista Placar em meados da década de 70. Nestes tempos colaborou com vários jornais alternativos da época, entre eles o Movimento. Na década seguinte passou a trabalhar com a equipe do Núcleo de Educação Popular 13 de Maio, colaborando com as antigas oposições sindicais e organizações populares. É um dos fundadores da SOSACI (www.sosaci.org), Sociedade dos Observadores de Sacis. Uma ONC (Organização Não Capitalista), com o objetivo de resgatar alguns aspectos da cultura popular que estavam “esquecidos”, como a mitologia brasílica, por exemplo. http://www.publisherbrasil.com.br/ Por conta destas atividades publicou os livros: “O Anuário do Saci” (Editora Publisher), e “Saci, o guardião da floresta” (Editora Salesianas), o livro “Roendo o osso. As máximas (e mínimas) do cachorrinho.” Uma coletânea de cartuns com o personagem do jornal Brasil Agora que circulou pelos anos 90 e “Palavra de Caipira”, lançado recentemente, os quatro livros em parceria com o escritor e jornalista Mouzar Benedito. Saiba mais: https://ohitine3.wixsite.com/ohi-ilustras

Sobre Paulo Sampaio e o livro “A Desconstrução de um Sonho” – Paulo César Sampaio é paraibano da Bahia, médico psiquiatra e presidente do Grupo Tortura Nunca Mais GTNM , foi coordenador da Ação dos Cristãos para Abolição da Tortura ACAT, Coordenador de Saúde do Sistema Penitenciário do Estado de São Paulo. Recebeu Menção Honrosa da Ordem dos Advogados do Brasil, Prêmio Franz de Castro, Prêmio Carrano da Luta Antimanicomial e Direitos Humanos. O livro denuncia o sofrimento imposto às pessoas com transtornos mentais, que cometem delitos e são absolvidas e encaminhadas aos Hospitais de Custódia. Tratadas inadequadamente, elas são vítimas de abusos e maus tratos em um sistema que já foi comparado à “Sucursal do Inferno”. A obra também busca mostrar um caminho para o tratamento humanizado, com o objetivo de reinserir essas pessoas na sociedade, em condições de viver com dignidade e conscientes de seus transtornos, sem colocar em risco a sociedade ou a sua vida.

Sobre Sandra Regina e o livro “Visita Íntima” – Sandra Regina é paulistana, formada em Letras pela USP. Revisora e editora de livros didáticos. Atualmente, desenvolve trabalho editorial na Editora Feminas, voltada para publicações de autoria feminina. Autora de “O texto sentido”, publicado pela Limiar em 2008. “haicaos”, com Múcio Góes, Limar, 2012. “Visita Íntima” é um convite às sensações, aos desejos de plenitude. Poemas apresentados como um roteiro, inspirado no documentário “Visita Íntima” (2005, dirigido por Joana Nin) versam sobre esperas, contatos e ausências, dores e solidão de quem vive à mercê das visitas.

*Este artigo não reflete, necessariamente, a opinião da Revista Fórum.

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum