Blog do Rovai

22 de agosto de 2011, 14h34

A análise de um amigo que tem de ser discreto

É dura a vida de assessores de políticos importantes. Principalmente quando jornalistas. As pessoas têm que ficar pianinho no seu canto, mesmo com vontade de dizer um monte de coisas. Um dos amigos que hoje atua nesse papel me enviou um email com um conjunto de reflexões interessantes que ajudam a pensar o debate político atual. Autorizado por ele, publico alguns trechos.
“A mídia tem tentado retratar como crise do governo, algo que, se é crise, imagina o que estar bem.”

“A grande história atual é a falência total da oposição.”

“Diante da crise econômica mundial, a oposição não tem proposta alguma. Só fazem reconhecer que o Brasil, que em 2002 era insolvente, hoje está forte e bem. Ou seja, saiu de 2008 ainda mais fortalecido.”

“As eleições de 2010 e o PSD tornaram o DEM nanico. E o FHC, preocupado em como vai entrar para a história, decidiu virar papagaio de pirata da Dilma, do PT.”

“Se o PSDB, depois de 16 anos, admite que tem que enfrentar a miséria em São Paulo e que o PT tem bons programas para isso, ótimo, para a população brasileira e a maturidade política.”

“O PSDB, por medo até da sombra de Lula, está pensando em dar 8 anos para Dilma de bandeja.”

“Serra que defendia oposição feroz, está isolado.”

“Fruet, abriu um espaço de enfrentar o PSDB no Paraná, com ele em Curitiba em 2012, e Gleise, para o governo do Estado, em 2014.”

“Marina perdeu o PV, que deve ir para a base do governo.”

“No cenário internacional a esquerda venceu no Peru e a Colômbia se aproxima da América do Sul e se afasta dos EUA/Uribe. Na Argentina, Cristina Kirchner deve ter uma eleição consagradora.”


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum