Blog do Rovai

02 de agosto de 2017, 16h44

Rodrigo Maia é a cara patética e esculachada da sessão de hoje, o líder do hospício dos canalhas

Ninguém se torna presidente da Câmara numa legislatura tão desqualificada como essa se não for tão canalha, canalha, canalha, quanto os seus pares.

A sessão de hoje está conseguindo ser mais patética e esculachada do que a do golpe na presidenta Dilma Rousseff. Naquela tarde de domingo do dia 17 de abril de 2016, havia um processo relativamente organizado em curso. O governo foi para a votação sabendo que seria derrotado e não utilizou instrumentos de força para resistir. E a oposição foi para o abraço. Fez uma das festas mais ridículas da história, enquanto a família brasileira deixava de ver o Domingão do Faustão ou o Programa do Silvio Santos, para se divertir com aquele circo.

Hoje, o clima é outro. Temer, o primeiro presidente denunciado no cargo por corrupção, colocou a faca nos dentes e decidiu resistir. E organizou sua bancada de canalhas, canalhas, canalhas para transformar o plenário num ringue.

Deputados como o da tatuagem da ladroagem, Wladimir Costa (Solidariedade – PA), o mesmo partido do famoso Paulinho da Força, levaram bonecos de Lula com roupa de presidiário para provocar. E partiram para os xingamentos pessoais e empurrões.

Rodrigo Maia, o sucessor de Temer se ele vier a cair, ao invés de interromper a sessão, preferiu ficar pagando de segurança de puteiro. Da sua mesa ficava dando lição de moral nos parlamentares, como se tivesse moral para fazê-lo.

Veja também:  Polícia paraguaia reprime manifestantes para permitir entrada de caminhão com explosivos

Ninguém se torna presidente da Câmara numa legislatura tão desqualificada como essa se não for tão canalha, canalha, canalha, quanto os seus pares.

Rodrigo Maia é a cara esculachada da sessão de hoje. Não é melhor e nem pior do que a de Eduardo Cunha, hoje preso. É apenas diferente.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum