sexta-feira, 23 out 2020
Publicidade

Blog do Rovai: Dá pra sonhar com Boulos prefeito e Erundina vice?

A candidatura de Boulos vem com o legado deste passado do PT que falava aquilo que achava ser transformador e não exatamente aquilo que as pesquisas qualis ou o marketing político orientava

As últimas pesquisas eleitorais realizadas em São Paulo trazem como grande novidade a consolidação da candidatura Boulos em terceiro lugar, ocupando o tradicional espaço da esquerda paulistana. Provando que, em política, não existe espaço vazio e que o PT cometeu um dos maiores erros políticos da sua história ao ignorar sua base e tentar enfiar goela abaixo uma candidatura da burocracia.

Mas isso são águas passadas. O que importa agora é que o jovem Guilherme Boulos e a veteraníssima Luiza Erundina estão conseguindo encantar uma parte da cidade com uma proposta radical de governo. Uma proposta que traz consigo a chama de outras batalhas históricas, como a que levou Erundina a ganhar a eleição de 88 e quase fez Lula presidente em 89.

A candidatura de Boulos tem esse DNA. Vem com o legado deste passado do PT que falava aquilo que achava ser transformador e não exatamente aquilo que as pesquisas qualis ou o marketing político orientava. Esse legado que o PT foi deixando de lado, em especial em São Paulo, e que Boulos resolveu ser herdeiro.

Mas há chances de Boulos ganhar a eleição com esse discurso? Elas são pequenas, bem diminutas, eu diria. Mas já existem. E permitem que que aqueles que sonham com isso se joguem nesta luta para transformar o sonho em realidade.

Bruno Covas que mesmo fazendo uma gestão pífia era o grande favorito para este pleito perdeu força. Uma boa parte da população, principalmente das periferias, não parece estar disposta a premiar seu fracasso. E Russomano, candidato de Edir Macedo e Bolsonaro, já se mostrou frágil em outras retas finais.

Se Boulos conseguir ultrapassar qualquer um dos dois, pode encantar a parte de São Paulo que conta e que não tem preconceito contra quem luta pelo direito à moradia. Muito pelo contrário, que quer poder ter uma moradia digna. Pode encantar os motoboys, as meninas do telemarketing, os garçons que perderam seus empregos na pandemia, os motoristas de ônibus e de Uber.

O jeito Boulos de ser dialoga com esses trabalhadores precarizados do novo motor social, a área de serviços.

Boulos sabe falar com eles. Olha no olho, não enseba com frases difíceis e não faz carinha de nojo ao tomar café preto no balcão da padoca. Boulos é o anti-Doria. Um candidato que pode ser a vingança contra a eleição de um engomadinho que nada fez por São Paulo.

Sim, já dá pra sonhar com Boulos prefeito. Apesar da longa caminhada existente o mtstista tá mostrando que não saiu candidato apenas pra fazer bancada de vereadores. E que sua carreira política pode ser mais meteórica do que esperavam alguns. Boulos tá no jogo.

Renato Rovai
Renato Rovai
Jornalista, mestre em Comunicação pela ECA/USP e doutor pela UFABC. Mantém o Blog do Rovai. É editor da Fórum.