Blog do Rovai: Uma eleição sem vitoriosos e com um derrotado, Bolsonaro

O preço do centrão ficou mais caro. O atual presidente terá que entregar muito mais cargos e espaço político para poder governar

A eleição de 2020 foi da redistribuição das cadeiras por muitos partidos diferentes sem ter fortalecido nenhum deles em especial.

Não se pode dizer nem que o PSDB, que ganhou São Paulo, e o DEM, que ganhou o Rio de Janeiro e outras capitais como Salvador e Curitiba, tenham vencido o pleito.

Inclusive porque são vitórias muito menos partidárias e sim de liderança locais.

Não se pode dizer que o PT foi o grande derrotado por não ter elegido nenhuma capital.

Afinal em 2016 tinha elegido apenas Rio Branco (AC) e dessa vez disputou com chances em 15 cidades no 2º turno, vencendo em quatro delas. Duas em São Paulo: Diadema e Mauá. E duas em Minas: Juiz de Fora e Contagem.

O que se pode afirmar sem margem de erro é que Bolsonaro saiu muito menor deste pleito.

Ele ganhou apenas em Vitória, com um candidato que é afilhado político de Damares.

Nas outras capitais levou chumbo.

Em especial no Rio de Janeiro, sua cidade eleitoral, onde seu candidato foi massacrado.

A partir deste balanço eleitoral o preço do centrão ficou mais caro. O atual presidente terá que entregar muito mais cargos e espaço político para poder governar.

Muito provavelmente terá que se filiar num dos partidos do centrão. PP, PTB ou Republicanos. E terá de tentar construir sua reeleição com base neste grupo.

As eleições de 2022 ainda estão longe. Mas não surgiu uma liderança clara deste pleito para disputar a presidência.

A frente de esquerda se bem organizada com PT, PSOL e PCdoB tem tudo para garantir uma vaga no segundo turno. Se juntar PDT e PSB ainda mais.

Mas dificilmente isso acontecerá.

Já os liberais, DEM, PSDB e PSD, tem força para lançar uma candidatura forte. Mas não têm um nome que os unifique.

João Doria pode ser este nome. Duvido de Huck e de Moro.

As cartas estão embaralhadas. Mas o jogo da reeleição ficou muito mais difícil para Bolsonaro.

Avatar de Renato Rovai

Renato Rovai

Jornalista, mestre em Comunicação pela ECA/USP e doutor pela UFABC. Mantém o Blog do Rovai. É editor da Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR