domingo, 20 set 2020
Publicidade

Cheques na conta de Michelle podem ser base para processo de impeachment de Bolsonaro

Os 21 cheques depositados na conta de Michelle Bolsonaro por Fabrício Queiroz e os outros quatro cheques também depositados em sua conta corrente por Márcia Queiroz são o tal batom na cueca, que não permite mais dúvidas em relação ao envolvimento entre Bolsonaro e Queiroz.

Ambos mantinham uma relação financeira promíscua e que tem relação com as rachadinhas ou com algo pior.

Mas isso é um pedaço da história.

Por que os crimes teriam sido praticados antes de Bolsonaro assumir a presidência da República.

Mas há um outro dado.

Bolsonaro disse, já presidente, que os cheques na conta de sua esposa não eram pagamentos para ela, mas para ele. E que se tratavam da devolução de uma dívida de 40 mil de um empréstimo que teria feito a Queiroz.

Não é verdade. Bolsonaro mentiu como presidente da República.

Michelle recebeu 72 mil de Queiroz e 11 mil de Márcia. Só pelo que foi apurado até agora.

Foi por ter mentido em depoimento numa CPI que Eduardo Cunha foi cassado da presidência da Câmara.

Bolsonaro mentiu no exercício do cargo sobre os depósitos de Queiroz na conta de Michelle e isso, por si só, já ensejaria uma CPI para averiguar o que mais isso pode esconder.

Não há clima para isso? Maia acha que Bolsonaro é só um fanfarrão?

Pode ser, amigo leitor. Pode não haver clima, mas há crime.

Um advogado poderia fazer o que deveria ser feito, pedir o impeachment de Bolsonaro por ter mentido para a nação em algo tão grave que envolve o seu nome.

Renato Rovai
Renato Rovai
Jornalista, mestre em Comunicação pela ECA/USP e doutor pela UFABC. Mantém o Blog do Rovai. É editor da Fórum.