Blog do Rovai

Fórum Educação
06 de abril de 2020, 09h42

O que está por detrás da proposta de fim do PT

Pode ser uma saída por cima das elites. Um novo contrato político para reduzir o poder de Bolsonaro e matar a oposição ao mesmo tempo

Bolsonaro e o comício onde propôs fuzilar "a petralhada" (Foto: Reprodução)

Jabuti não sobe em árvore. Quando você vier a ver ele numa, saiba que alguém o colocou lá.

O processo da procuradoria eleitoral propondo a ilegalidade do PT é um jabuti.

Jabuti, como já dito, nem sobe em árvore e nem nasce na árvore. Quem colocou o jabuti lá?

Há duas hipóteses.

A primeira é ter sido ideia do time carluxo-olavista. Do Bolsonarismo raiz. Que sente necessidade de polarizar com o PT pra ver se rola um bloco do lado de lá pra se animar a continuar com o mito na presidência de fato do país.

Mas pode ser algo pior, como registrou o meu amigo Rodrigo Vianna.

Pode ser uma saída por cima das elites. Um novo contrato político para reduzir o poder de Bolsonaro e matar a oposição ao mesmo tempo.

Globo, Maia e seus liderados no Congresso, Moro, Mandetta, Mourão, e parte significativa das Forças Armadas, lideradas pelo general Braga Neto, junto, claro, com o capital financeiro, a Fiesp e o escambau.

Esse grupão pode estar armando um Bolsonaro do tipo rainha da Inglaterra. Um Bolsonaro pra inglês ver, que vai ficar falando sozinho.

E ao mesmo tempo esse grupão iria para cima da oposição com sede de sangue.

Oposição, amigos, no Brasil (digo país inteiro) é PT.

Ficar com uma picareta na cabeça do petismo, falando em ilegalidade não é algo inútil. Pelo contrário. É algo que pode definir muitas eleições.

Sufocar o partido, aplicando-lhe multas estratosféricas e limitando-o economicamente, mesmo que isso não o leve a cassação, é um jeito de impedir que a oposição exista.

Esse pedido de cassação do PT pela procuradoria eleitoral pode ter esse sentido.

Mesmo que não venha a ilegalizá-lo, interditá-lo. O que é tão grave quanto a ilegalidade formal. Principalmente se junto com isso vier este tal acordão das elites.

PT e geral do campo progressista precisam ficar muito mais atentos do que já estão. Precisam estar espertos. E precisam se unir. Juntar forças pra sobreviver.

Bolsonaro é um dos adversários. Está longe de ser o único. E talvez já não seja o mais preocupante. De qualquer jeito ainda pode reagir.

E, cá entre nós, Bolsonaro tentando impedir um acordão por cima é melhor do que ele aceitando tudo de cabeça baixa. Ao menos explicitaria o racha, o que está por baixo da fantasia colorida de fim da polarização.

Esse discurso de fim da polarização é o maior engodo autoritário. Não ajuda em nada o processo democrático, que é a convivência dos contrários. Que tem por principio aceitar os polos.

É discurso para nos impor o silêncio dos cemitérios. E entregar o país. Muito cuidado com ele.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum