Blog do Valdemar

política e teologia

Entrevista exclusiva com Lula
05 de abril de 2013, 21h38

O fantasma que assombra a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara

Filipe Pereira (PSC-RJ) está no segundo mandato como deputado federal. Eleições de 2006: 51.062 votos. Eleições de 2010: 98.280 votos. Diácono da Igreja Assembleia de Deus da Convenção de Madureira. Ao pesquisar, descobri que o jovem deputado, que disputou o primeiro pleito com o nome de “Filipe Rio de Cara Nova”, é filho de Everaldo Dias Pereira, primeiro vice-presidente do Partido Social Cristão (PSC).
Quando governador do estado do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho instituiu o Programa Compartilhar Cesta do Cidadão, que ficou popularmente conhecido como “Cheque Cidadão” (Decreto n° 25681 de 5 de novembro de 1999) e cabia ao Gabinete Civil o cadastramento das famílias beneficiárias, bem como de entidades assistenciais e religiosas. Enquanto sub-chefe do Gabinete Civil no ano de 2000, Everaldo Dias Pereira era o responsável pela coordenação do “Cheque Cidadão”.
Esses fatos estão devidamente documentados no Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, Processo n° 109.518-5/01, (Origem: Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, pedido de inspeção do Programa Cheque Cidadão pelo então deputado estadual Francisco Alencar) e Processo n° 102.347-7/02 (Inspeção Especial realizada na Secretaria de Ação Social e Cidadania, gestão do Programa Compartilhar Cesta Cidadão entre maio de 2000 e setembro de 2001).
No dia 25 de fevereiro de 2013, o governador Sérgio Cabral deu posse ao deputado de 28 anos, que assumiu a titularidade da Secretaria de Estado de Prevenção à Dependência Química. No Salão Nobre do Palácio Guanabara, entre autoridades e nobres convidados, o pai discreto: Everaldo Dias Pereira, ainda vice-presidente nacional do PSC. Na solenidade, a cara que apareceu foi a do bom moço deputado, mas nas coxias do Palácio Guanabara a voz que se faz ouvir é a do pai orgulhoso.
Há 500 anos que Cabral vive as turras com os índios aqui pelo Rio de Janeiro. Mas tratando-se de pajelança política, as portas estão abertas para o pentecostalismo caboclo de Everaldo Dias Pereira e do bispo Manoel Ferreira de Almeida.
Na Câmara dos Deputados, o rostinho bonito do Marco Feliciano (PSC-SP) é o que aparece na Comissão de Direitos Humanos e Minorias, mas nos meandros das coxias dos palácios de Brasília, a sombra, dizem os que acreditam em espectros, é a do discreto Everaldo Dias Pereira.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum