segunda-feira, 21 set 2020
Publicidade

É tudo verdade

Espetacular o filme do polêmico cineasta americano Michael Moore exibido no festival de documentários, É tudo verdade, em São Paulo. No filme, Capitalismo: uma história de amor, Moore nos leva para dentro do olho do furacão da crise imobiliária norte-americana e faz uma profunda crítica ao sistema capitalista selvagem e cruel que se instalou naquele país desde a era Reagan.

Quem já viu outros filmes de Moore (Tiros em Columbine, Fahrenheit 11 de setembro), conhece a narrativa sempre irônica e jocosa do cineasta, que além de informar, diverte. Moore chega a cercar o prédio do Citibank com uma fita de cena de crime, por considerar que o referido banco roubou dinheiro dos contribuintes americanos ao aceitar a ajuda do governo e distribuir bônus a seus funcionários. Mas este recurso serve apenas para amenizar a dor que sentimos ao ver seus filmes, pois fazemos parte dele, afinal somos todos capitalistas.

É impossível ver o filme e não traçar paralelos com o rumo da economia no país. E próximo às eleições presidenciais, com certeza a turma do Serra não irá gostar do filme. Então se você ler alguma crítica desfavorável na Folha de algum jornal ou revista, Veja por si mesmo e depois tire suas conclusões

Avatar
Francisco Machado Filho
Francisco Filho é professor Dr. da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP - Campus de Bauru-SP no curso de Jornalismo. Possui graduação em Radio e TV pela FAESA/ES, Mestrado em Mida e Cultura pela UNIMAR/SP e Doutorado em Comunicação Social pela UMESP/SP. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Televisão digital, atuando principalmente nos seguintes temas: TV Digital, Mídias Digitais e internet e modelo de negócios para TV aberta.