Convergência Midiatica

Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
12 de agosto de 2010, 00h50

Muito além da TV

Este foi o tema central no segundo dia do congresso da ABTA – Associação Brasileira de TV por Assinatura – O setor passa por momento estratégico. Vem conseguindo ótimos índices de crescimento, mas vê o modelo de negócios ser ameaçado por novas tecnologias de distribuição de conteúdo e pode ter que enfrentar uma concorrência de peso caso as Telecom entrem no segmento de TV por assinatura.

Não por acaso o tema do segundo painel foi “Conteúdo 2.0. De onde virão as receitas?” Mas, antes mesmo de encontrarem novas formas de receita, as operadoras e programadores estão mesmo é preocupados com a entrada das Telecom na prestação do serviço. Varias entidades como a TAP Latin America (associação que representa na América Latina os interesses dos programadores internacionais) se posicionou veementemente contra o PL 116, como também o Grupo Bandeirantes, que controla a TV Cidade (TV a Cabo) e afirma que o projeto como está hoje causa “grande estrago” ao setor, afirmou Walter Vieira Ceneviva, vice-presidente executivo do Grupo Bandeirantes.

Mas enquanto as políticas de comunicação não se definem, a indústria da TV paga segue adiante, tentando encontrar um caminho seguro em meio a tantas vias possíveis de distribuição de conteúdo. E uma palavra, ou melhor, posicionamento, vem ganhando terreno e provendo uma forte aliança entre os anunciantes, agências de publicidade e distribuidores de conteúdo: Trasmídia.

O que é trasmídia? Basicamente é o mesmo conteúdo sendo adaptados e distribuídos em diversas plataformas de mídia. Pode parecer simples, mas não é. De acordo com Marcus Fernandes, diretor geral da Irmãos de Criação, a transmídia é um novo modelo de negócios com outra estrutura de criação, distribuição e faturamento. O principal desafio desta nova modalidade é transformar consumidores em clientes. Isto só é possível quando o consumidor passa a ter envolvimento com a marca. E a transmídia é uma ótima oportunidade para criar este envolvimento, pois permite que várias outras peçam ou conteúdos sejam criados para se criar envolvimento entre o consumidor e o produto.

Indo ao encontro desta afirmação, Marcelo Gluz, gerente de novas mídias da Globosat, apresentou cases de sucesso onde a utilização da transmídia foi utilizada. Exemplos como a franquia Matrix, que utilizou a Internet como um complemento para a saga mostrada no cinema, inclusive com animações grátis (Animatrix), livros, episódios online, dentre outros. Outro exemplo de sucesso foi o filme Bruxa de Blair, que utilizou a rede para criar envolvimento com o filme mesmo antes de ser filmado. Trazendo para a realidade brasileira a Globosat tem utilizado o Cartola, um jogo online de futebol onde os usuários fortalecem seus times com informações buscadas no Globoesporte.com.

Entretanto, a tendência mais evidente que pode ser percebida na mudança de posicionamento das empresas de TV paga foi apresentada por Renato Improta, diretor executivo de mídias digitais da Accenture. A palavra telespectador deverá ser revista, ou seu conceito ampliado. O modo tradicional de consumir televisão onde o indivíduo se torna telespectador somente no instante em que liga o aparelho de TV e senta confortavelmente no sofá da sala não existe mais. A tecnologia permite que o envolvimento com o espectador seja constante mesmo fora de sua casa. As operadoras têm atualmente condições para envolver o espectador mesmo quando não assiste TV. Smartphones, Ipads, Tablets e outros dispositivos (veja fotos abaixo), permitirão que o assinante se mantenha conectado com a operadora e programe a distância o que irá ver ao chegar em casa. Redes sociais discutirão sobre a programação e serão utilizadas para o engajamento da audiência. Porém, como salientou Improta, tudo isso depende da penetração da Banda Larga no país.

Este será o tema do terceiro dia do congresso com o Painel 3: A explosão da Banda Larga. Acompanhe a cobertura aqui.

Soluções da OTTV para TV paga onde o cliente pode acessar conteúdo por dispositivos como Smartphones

Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum

#tags