TV Digital: As inferências do raciocínio e um novo modo de ver TV

O artigo pretende analisar as possibilidades da TV digital em uma sociedade em rede, onde profundas transformações serão sentidas em nossa sociedade. Para tanto, será necessário analisar a internet dentro de pressupostos teóricos, visto que, a grande rede traz consigo novos signos diferentes dos que estão inseridos no cinema, na TV, e na produção e […]

O artigo pretende analisar as possibilidades da TV digital em uma sociedade em rede, onde profundas transformações serão sentidas em nossa sociedade. Para tanto, será necessário analisar a internet dentro de pressupostos teóricos, visto que, a grande rede traz consigo novos signos diferentes dos que estão inseridos no cinema, na TV, e na produção e recepção de produtos audiovisuais. Entretanto, não analisaremos neste estudo a interação entre o indivíduo e a máquina e nem características técnicas da TV digital. Assim, o presente artigo, se apóia nas características de cada tipo de leitor apresentadas por Santaella (2004) e as transporta para o novo telespectador da tv digital, onde as mesmas habilidades e competências necessárias para se navegar no ciberespaço poderão ser requisitadas para a recepção dos produtos audiovisuais.

Para ter acesso ao texto completo, envie um e-mail para [email protected]

Avatar de Francisco Machado Filho

Francisco Machado Filho

Francisco Filho é professor Dr. da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP - Campus de Bauru-SP no curso de Jornalismo. Possui graduação em Radio e TV pela FAESA/ES, Mestrado em Mida e Cultura pela UNIMAR/SP e Doutorado em Comunicação Social pela UMESP/SP. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Televisão digital, atuando principalmente nos seguintes temas: TV Digital, Mídias Digitais e internet e modelo de negócios para TV aberta.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR