Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

O que o brasileiro pensa?
01 de outubro de 2014, 15h04

Avenida Luiz Gushiken, uma homenagem ao ex-sindicalista que fará Veja e seus leitores espumarem de raiva


A Nova avenida fica na zona Sul, paralela a Av. Guarapiranga, a foto foi tirada pelo leitor Fernando Soares, próximo à Fatec Zona Sul

Gushiken tem história e mesmo depois de morto foi atacado pela mídia monopolizada e tucana. A Veja teve de pagar indenização à família por suas calúnias disseminadas contra Gushiken. A av. foi recém-inaugurada pelo prefeito Fernando Haddad, é tão nova que ainda não tem CEP  na placa.
O sindicato dos bancários de SP, Osasco e Região cobriu a inauguração, leia a matéria a seguir:

Haddad inaugura Avenida Luiz Gushiken
Via localizada na zona sul de São Paulo homenageia ex-sindicalista, morto no ano passado

Por: Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região/Fotos: Celso Luis, via CUT

29/09/2014 – 18:23 • Última modificação: 30/09/2014 – 10:34

O prefeito de São Paulo Fernando Haddad entregou na segunda-feira (29) a Avenida Luiz Gushiken. A via foi assim batizada em homenagem ao ex-sindicalista, morto no ano passado. Localizada no extremo sul da cidade de São Paulo, integra o novo complexo viário do córrego Ponte Baixa e segue da Avenida Guido Caloi até a confluência da Estrada do M’Boi Mirim com a Rua Daniel Klein. Além de intervenções viárias, o projeto também prevê obras de canalização do córrego.

“Só essa obra aqui são [quase] R$ 500 milhões. Nós vamos chegar até a [Rua José Barros] Magaldi, que é uma rua importante, até o final deste ano, o que já vai aliviar muito [o trânsito da região] do Jardim Ângela”, afirmou o prefeito, ressaltando que a medida se soma à requalificação do corredor da Estrada do M’Boi Mirim. “Fizemos uma paralela à M’Boi, que vai ter mais efetividade no desafogamento do trânsito do que de outra forma, até pela agilidade da obra. É o maior investimento que já foi feito na história dessa região”, disse.

Também foi inaugurado um novo viaduto, de 336 metros de extensão. Ele conta com duas faixas de rolamento e funcionará no sentido centro, da Avenida Luiz Gushiken até a Avenida Guarapiranga. Um novo trecho de 480 metros do córrego canalizado também foi entregue nesta segunda-feira – vai da Rua Frederico Grotte até a Rua Guilherme Valente, pela Avenida Luiz Gushiken. Este trecho, assim como a via perimetral ao lado do complexo de viadutos, possui ciclovia e, depois de completo, possuirá um corredor ônibus cuja infraestrutura já está montada.

Há mais de 40 anos que a população aguarda a realização dessa obra que deverá beneficiar cerca de 550 mil pessoas. A área da bacia hidrográfica do córrego Ponte Baixa é de aproximadamente 6,7 km². O córrego, que desemboca no canal Guarapiranga, sofre com a poluição e assoreamentos, e em época de chuvas transborda em vários pontos.

O conjunto de obras ligado ao córrego Ponte Baixa terá o custo total de R$ 490 milhões, dos quais R$ 164 milhões serão da Prefeitura e R$ 326 milhões do governo federal, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). Entre as intervenções previstas, estão a construção de três viadutos de interligação – dois dos quais já entregues –, e a canalização de três quilômetros do córrego, do canal do Guarapiranga até a Estrada do M’Boi Mirim. A largura do córrego está sendo ampliada de quatro metros para 16,5 metros para suportar a vazão de água na época de chuvas.


Homenagem – Durante a entrega da via, a viúva Elisabeth Gushiken e seus filhos Helena e Guilherme receberam uma réplica da placa de identificação da via. “É importante nós termos obras dessa magnitude [na cidade]. Mais importante do que a canalização do córrego e [a construção] da avenida, da ciclofaixa e da faixa de ônibus, é a dignidade que essa população passa a ter com esse tipo de obra. Isso é o que vale”, destacou Guilherme Gushiken.

O ex-presidente do Sindicato morreu em 13 de setembro de 2013, após lutar por cerca de doze anos contra um câncer. Presidiu o Sindicato em 1985 e atuou ativamente contra a ditadura militar e em defesa da categoria. Funcionário do antigo Banespa, hoje controlado pelo Santander, sucedeu Augusto Campos na direção da entidade, no processo de redemocratização do país, e comandou uma greve nacional que paralisou 700 mil bancários. Iniciou sua trajetória como cipeiro, atuando na defesa dos direitos dos banespianos, e foi um dos fundadores do PT.

Em 1986 elegeu-se deputado constituinte e ajudou a construir a Constituição Cidadã de 1988, atualmente em vigência no país. Foi ainda ministro da Comunicação Social do governo Lula (2003-2005).

Veja – Acusado sem provas de envolvimento no que ficou conhecido como escândalo do mensalão, teve seu nome retirado do processo por absoluta falta de provas. Gushiken ainda processou a revista Veja devido a uma reportagem que o acusava de manter contas secretas no exterior.

Em 2006 a revista foi condenada pela Justiça em primeira instância. Em março deste ano, com Gushiken já morto, o Tribunal de Justiça de São Paulo reformou a decisão da instância inferior e aumentou o valor da indenização a ser paga pela revista: “A ré abusou da liberdade de imprensa e ofendeu a honra do autor. Deve, por isso, indenizá-lo. No que diz com valores, R$10.000,00 não condizem com a inescusável imprudência e com o poderio econômico da revista. R$100.000,00 atendem melhor às circunstâncias concretas”.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum