Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

Fórumcast, o podcast da Fórum
11 de novembro de 2010, 14h04

Carta Aberta a Fernando Haddad, ministro da Educação

Convido os leitores do Maria Frô a ler primeiramente este post aqui, onde  selecionei alguns textos que tratam da questão de modo bastante sério. Convido-os também a ler o parecer, porque verão que ele não tem absolutamente um caráter censor, como modo equivocado tanto na grande imprensa como na fala de alguns comentaristas no twitter e aqui mesmo no blog .

Carta Aberta ao Exmo. Ministro da Educação do Brasil

Sr. Fernando Haddad

Rio de Janeiro, 5 de novembro de 2010.

Assunto: Parecer do Conselho Nacional de Educação sobre o livro Caçadas de Pedrinho, de Monteiro Lobato

Professoras(es), gestoras(es), pesquisadoras(es) e vários setores da sociedade civil parabenizam a iniciativa do Parecer que prima pela ausência de preconceitos, estereótipos ou doutrinações com teor racista nas obras que sejam adotadas em programas como o Biblioteca  na Escola. Nós estamos de acordo com a recomendação de que todas as obras passem pela análise, favorecendo que todo material do Programa Nacional Biblioteca Escola (PNBE) esteja conforme a diversidade étnico-racial, o pluralismo cultural, a equidade de gêneros, o respeito às orientações sexuais e às pessoas com deficiência.

Nosso entendimento é que a relatoria não fez nenhuma menção à censura. Mas, tão somente, ponderações responsáveis e necessárias numa sociedade democrática. Principalmente numa sociedade composta por 50,6% de negras e negros. Portanto, não se trata de desconsiderar a liberdade de expressão ou a licença poética, muito menos um excesso. Porém, trata-se de uma indicação que permite problematizar os critérios que as obras do PNBE precisam preencher.

Vale registrar que o problema não é a obra de Monteiro Lobato, o livro em questão é um exemplo do que o CNE está propondo, a saber: uma análise sistemática e cuidadosa das obras do PNBE. Portanto, não é adequado permitir que o CNE/MEC não oriente, avalie e sugira para educadoras e educadores brasileiros alguns protocolos indispensáveis para garantir uma sociedade democrática que não fique presa aos estereótipos e discursos discriminatórios.

A revisão do Parecer é importante para que um amplo debate seja realizado e a intensificação do entendimento desfaça eventuais incompreensões sobre os reais objetivos do Parecer, o que, sem dúvida, vai fortalecer os argumentos em favor da homologação.

Contando com seu compromisso democrático como educador e cidadão, em favor da diversidade étnico-racial e pela importância do cargo que ocupa como Ministro da Educação do Brasil, esperamos, sinceramente, que o senhor defenda o valor da literatura como bem inestimável da cultura humana, em favor dos direitos universais da pessoa humana, homologando o parecer do CNE.

Atenciosamente,

Alzira Rufino-Presidenta da Casa de Cultura da Mulher Negra

Profa.Urivani Rodrigues de Carvalho-Diretora de Arte da Revista Eparrei


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum