Blog da Maria Frô

ativismo é por aqui

05 de fevereiro de 2012, 12h41

Cristiano, Laíssa, histórias de uma juventude brasileira de superação

Quando eu vim para São Paulo estudar na universidade de São Paulo meu pai estava desempregado, minha mãe sustentava meus quatro irmãos e apesar de eu ter passado em primeiro lugar num concurso público (lecionava para adultos na Educação de Adultos da Secretaria de Bem Estar Social da Prefeitura Municipal de São Paulo, ganhando cerca de um salário mínimo) eu demorei cerca de três meses pra receber  o primeiro salário.

Eu também passei em primeiro lugar em outro ‘concurso’ e este eu não me orgulhava. Fiquei em primeiro lugar na lista do Coseas para receber moradia no CRUSP tal era a situação de penúria que a minha família vivia. Tinha muita vergonha quando via todos interessados em saber quem era a mais pobre, porque o Coseas expunha a lista com nossos nomes (e não apenas com nosso nº USP). Eu me fingi de morta até as pessoas esquecerem aquela lista infeliz.

Minha parceira de CRUSP a Beth Souza dividia comigo o bandejão. Vocês podem imaginar o nível de resistência e dureza pra dividir um bandejão do restaurante da USP?

É por isso que as histórias de superação de Laíssa e agora do Cristiano me emocionam tanto.

Laíssa vocês conhecem a história nos inúmeros posts que publiquei:

Laíssa, catadora de papel, fez hoje sua matrícula na USP

Veja também:  Alunos e professores vencem e interventor bolsonarista sai pela porta dos fundos e não assume o Cefet-RJ

Laíssa, ex-catadora, entrou na USP!

Moçada da área de biológicas, gestão ambiental, solidários em geral dêem uma força para a Laíssa

Histórias de superação: catadora na Universidade, que venham muitas Laíssas

E foi pela história da Laíssa que o Cristiano chegou até o Maria Frô e arriscou deixar um pedido de socorro: ele também foi aprovado no vestibular, ele também tem uma história de exclusão e grande violência, mas mesmo assim conseguiu superá-la e entrou na universidade.

Pelo seu nome fui até a lista dos aprovados na FUVEST e constatei que havia um Cristiano, mas mesmo assim escrevi para ele para confirmar a história e pedi comprovante de sua inscrição e outros documentos. Ele me mandou absolutamente tudo e pelos  prints que reproduzo abaixo dá pra vocês verem que ele está fazendo isso de uma lan house.

Reproduzo dois deles, mas tenho todos os demais inclusive sua ficha que pede isenção na inscrição da taxa do vestibular da Fuvest:

O nome e o nº de inscrição do Cristiano na lista de aprovados da FUVEST que bate com o nome e nº de inscrição no vestibular na ficha reproduzida abaixo:


Aqui a sua ficha de inscrição. Apaguei o nº de seu CPF para não expor na rede.

Abaixo brevemente a história que ele me relatou, quando lhe enviei o primeiro mail:

” Obrigado pela atenção.
Minha historia é essa: meu pai era retireiro, morreu deixando 3 filhos e esposa.
Minha mae se casou novamente e meu padrasto não me deixava ir à escola, dizia que escola era  pra criar vagabundo.
Apanhava muito, fugi de casa uma vez, morei na rua um tempo.
Depois consegui emprego na Santa Casa de Cunha-SP como faxineiro, trabalhei em diversas atividades: peixaria, engraxate, vendedor de banana, pintor, mas sabia que Deus tinha me dado capacidade para algo além daquilo que eu fazia.
Fui para o exército de onde saí com certificado de honra ao mérito.
Comecei a namorar uma garota que me motivou a terminar o colegial pelo menos. Então voltei para escola trabalhando de dia e estudando à noite. Passei no no concurso do Acessa escola o que melhorou, pois eu tinha mais tempo para estudar .
Foquei nas universidades públicas já que uma particular não teria como pagar. Pedi isenção e consegui: UNESP, USP, UNIFESP. Na UNESP estou em lista de espera, na UNIFESP não tive dinheiro para fazer a prova em São José dos Campos e na USP, um professor que ia levar o filho dele pra fazer vestibular me deu carona nos 3 dias da segunda fase.

Graças a Deus e aos meus esforços consegui passar,  mas agora tem este inconveniente, não tenho dinheiro para ir de Cunha até Ribeirão Preto fazer a matrícula. Se a senhora puder me ajudar ficarei grato.
Mandarei outro email com as fotos dos documentos. Cristiano”

É isso, leitores, Cristiano  me passou uma conta do Banco do Brasil, quem tiver interesse de ajudar este rapaz com a maior brevidade já que ele tem de estar em Ribeirão Preto no dia 08/02/2012, escreva-me (blogmariafro@gmail.com) para que eu possa passar os dados. Obrigada.

__________
Publicidade

Veja também:  Guedes estudou em Chicago com a bolsa CNPq que o governo está cortando

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum